UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 20 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JOSÉ ABRAÃO REZENDE GOVEIA
12/07/2021 13:21


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSÉ ABRAÃO REZENDE GOVEIA
DATA: 28/07/2021
HORA: 15:00
LOCAL: meet.google.com/epi-iyng-mte
TÍTULO: TRADIÇÃO DA PEGA DO BOI NO MATO EM PORTO DA FOLHA: CORDELIZANDO VAMOS ENSINANDO A HISTÓRIA E ESTUDANDO O ALTO SERTÃO SERGIPANO
PALAVRAS-CHAVES: Tradição, Pegas de boi no mato, Cartilha, Cordel, Ensino de História
PÁGINAS: 81
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
SUBÁREA: Ensino-Aprendizagem
ESPECIALIDADE: Métodos e Técnicas de Ensino
RESUMO:

O presente trabalho tem como objetivo produzir uma cartilha em formato de sextilhas de cordel, sobre a temática da tradição das pegas de boi no mato, na festa do vaqueiro da cidade de Porto da Folha, localizada no alto sertão sergipano. As motivações para o desenvolvimento desse trabalho, vem das minhas experiências em sala de aula com a Literatura de Cordel, onde no momento que vou iniciar um novo conteúdo de história, declamo para as turmas do Ensino Fundamental e Médio, do Colégio Estadual Governador Lourival Baptista, Porto da Folha, Sergipe, uma sextilha de cordel, geralmente com oito estrofes, propondo em seguida, discussões, comparações textuais entre a forma escrita do cordel, e a forma escrita do conteúdo no livro didático de história dos alunos. Essa metodologia em sala de aula tem como objetivos, incentivar a leitura, escrita, comparação e interpretação textual, partindo de um produto cultural que é o cordel, e muito representa a cultura Nordestina e Sertaneja, onde esses grupos de alunos estão inseridos. As pegas de boi no mato fazem parte da história e tradição da cidade de Porto da Folha, onde essa realiza anualmente a sua festa do vaqueiro, que está prestes a completar cinquenta anos de sua existência, quando essa assim vou realizada, no momento que esses eventos não mais estiverem proibidos por conta da pandemia da COVID-19. Esse tema é relevante pois na Universidade Federal de Sergipe existem poucos trabalhos sobre essa temática, que trata da história dos vaqueiros e suas contribuições para a formação da sociedade sergipana. Para o Mestrado Profissional em Ensino de História (PROFHISTÓRIA UFS/UFRJ), vem sendo desenvolvido uma pesquisa com metodologia qualitativa, com revisão de literatura do tema das pegas de boi no mato, como sobre a literatura de cordel inserida no contexto do Ensino de História da Educação básica, e na BNCC ( Base Nacional Comum Curricular), as fontes históricas sobre o tema são, fontes orais, entrevistas com o vaqueiro Zé Miúdo e o aboiador Mauricio do Pajeú, fontes escritas, regimento, estatuto e atas de reuniões da Sociedade Recreativa Parque Nilo dos Santos, entidade que organiza as vaquejadas de pega de boi no mato em Porto da Folha, Sergipe, sendo utilizadas também fontes históricas como fotografias, símbolos, vestimentas, usadas por vaqueiros da região. O conceito base desse objeto de estudo é o de tradição, discutido por teóricos como Eric Hobsbawn, Terence Ranger e Kalina Vanderlei Silva em obras como a invenção das tradições e Dicionário de conceitos histórico. O trabalho é importante por difundir a cultura do vaqueiro sertanejo e o uso do cordel no Ensino de História, como parte constituinte da história do Sertão Sergipano, Nordestino, Brasileiro e da humanidade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2872833 - LUCAS MIRANDA PINHEIRO
Interno - 2707438 - ANDREZA SANTOS CRUZ MAYNARD
Interno - 8426714 - ITAMAR FREITAS DE OLIVEIRA
Interno - 1204508 - PAULO HEIMAR SOUTO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16088-62c448d53e