UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 29 de Novembro de 2022

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: CLAUBERTO RODRIGUES DE OLIVEIRA
11/06/2021 09:29


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CLAUBERTO RODRIGUES DE OLIVEIRA
DATA: 30/06/2021
HORA: 08:30
LOCAL: Sala Virtual - Google Meet
TÍTULO: Instituições de ensino superior do Estado de Sergipe (Brasil): análise cientométrica e valoração da produção biotecnológica e estudo do modelo de gestão de transferência de tecnologia
PALAVRAS-CHAVES: biotecnologia; prospecção tecnológica; cientometria.
PÁGINAS: 110
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências
RESUMO:

A biotecnologia é definida como a aplicação da ciência e tecnologia utilizando organismos vivos, bem como as suas partes, produtos e modelos, para a produção de conhecimentos, bens e serviços. Nos últimos anos houve um expressivo aumento no desenvolvimento de ativos de produção em pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) na área de biotecnologia, especialmente por instituições de ensino superior nacionais (IES), públicas e privadas. Em Sergipe, o aumento na produção biotecnológica foi de cerca de 80%, mas o contributo das universidades para esse aumento, a caracterização e precificação da biotecnologia e o estado da sua transferência para o setor produtivo ainda permanecem desconhecidos. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi analisar e caracterizar o contributo da produção biotecnológica, e o modelo de gestão de transferência da tecnologia produzida, das Instituições de Ensino Superior no estado de Sergipe. Para tanto, foi inicialmente realizada uma análise cientométrica dos registros de patentes biotecnológicas efetuados em âmbito nacional (INPI) e internacional (USPTO, Espacenet e WIPO) pelas instituições de ensino superior (IES) públicas ou privadas do estado de Sergipe, no período de 2005 a 2020, considerando as seguintes variáveis: ano de depósito, classificação de acordo com Código Internacional de Patentes (CIP), setor biotecnológico do depósito, situação do depósito e parceria com o setor produtivo. Foram traçadas curvas polinomiais para análise de tendência de produção a partir da determinação dos valores de R2 , e teste G para análise de associação entre variáveis (α=5%). A valoração de patentes foi realizada com base nos seguintes parâmetros: margem de contribuição, volume do produto, vulto dos investimentos necessários a produção e nível de prontidão tecnológica. O estudo do modelo de gestão de transferência de tecnologia nas instituições compreendeu uma análise quantiqualitativa de dados obtidos em entrevistas com os colaboradores dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NIT) institucionais. Foram recuperados 130 registros de depósitos patentários com dados já disponíveis no INPI, sendo 82 (63,07%) efetuados pela UFS e 48 (36,92%) pela Unit. Foi observada tendência moderada ao crescimento progressivo da produção biotecnológica anual (R2=0,662), especialmente nos setores industrial (R2= 0,567) e agropecuário (R2=0,543). Apesar da produção biotecnológica no setor de saúde não mostrar tendência ao aumento (R2=0,008), este apresenta o maior montante anual de depósitos (46,15%). O maior percentual de registros da UFS no setor de saúde (52,43%) enquanto da Unit foi no setor industrial (47,91%), sendo essa associação entre setores e instituições estatisticamente significativa (p=0,0015). Um montante de 46,92% das patentes estava classificado como A61 (produtos e processos voltados para necessidades humanas em saúde e higiene), mas ao se analisar comparativamente essa distribuição pelas duas IES avaliadas, a Unit apresentou tendência vocacional significativamente maior para o desenvolvimento biotecnológico nesta área (p=0,002). O percentual de concessões foi considerado baixo para ambas as IES (4,93% para a UFS e 8,33% para a Unit). Além disso, 85,18% das patentes depositadas pela UFS e 89,58% pela Unit foram classificadas como NPT 4 (conceito comprovado e fase de bancada concluída). A precificação mínima do portfólio total de patentes biotecnológicas da Universidade Federal de Sergipe foi de R$ 2.854.119,20 (média de R$ 35.236,03 ± 7.769,45), enquanto a da Universidade Tiradentes foi de R$ 1.426.934,70 (média de R$ 29.727,80 ± 11.057,79). Concluiu-se que o contributo das IES para a produção biotecnológica do Estado de Sergipe mostra uma moderada tendência ao crescimento, a UFS apresentando maior vocação para o setor de saúde e a Unit para o da indústria. A maior parte das patentes ainda não foi concedida e não tem parceria com o setor produtivo, apresentando níveis de prontidão tecnológica relativamente baixos, o que impacta negativamente na estimativa dos valores mínimos de sua precificação.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
Interno - 2335200 - CHARLES DOS SANTOS ESTEVAM
Externo à Instituição - PATRICIA SEVERINO
Externo à Instituição - MARIA TEREZINHA SANTOS LEITE NETA
Externo à Instituição - MARGARETE ZANARDO GOMES
Externo à Instituição - FRANCINE FERREIRA PADILHA
Externo à Instituição - DANIELA DROPPA ALMEIDA
Externo à Instituição - RICARDO LUIZ CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE JUNIOR

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2022 - UFRN v3.5.16 -r18154-6e174eae4e