UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 30 de Novembro de 2022

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de DEFESA: CÁSSIO DA SILVA SANTOS FILHO
26/05/2021 16:46


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CÁSSIO DA SILVA SANTOS FILHO
DATA: 28/05/2021
HORA: 15:00
LOCAL: Via remota
TÍTULO: A Divisão Social do Trabalho na Indústria da Segurança Privada
PALAVRAS-CHAVES: Divisão Social do Trabalho; Indústria; Fetiche da Mercadoria; Segurança Privada.
PÁGINAS: 141
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Economia
RESUMO:

A pesquisa analisa o fenômeno da Divisão Social do Trabalho na Indústria da Segurança Privada. A partir da perspectiva marxiana, são operacionalizados os conceitos de Divisão Social do Trabalho, Fetiche da Mercadoria, Indústria, trabalho produtivo e Segurança Privada. A análise é crítica e dialética, e tem o modo de produção capitalista como cenário macroeconômico, principalmente a partir do advento do Neoliberalismo. Entende-se que a Divisão Social do Trabalho é um pressuposto no Capitalismo e nele se intensificou, caracterizando esse sistema. A grande indústria, inserida nesse processo, tem a Divisão do Trabalho como parte intrínseca de sua engrenagem. A partir da constatação de que a Segurança Privada conforma uma Indústria, construiu-se a hipótese de que, nesse setor, a Divisão Social do Trabalho já está desenvolvida o suficiente para potencializar impactos socioeconômicos importantes. A questão principal levantada é: qual a implicação socioeconômica causada pela Divisão do Trabalho na Indústria da Segurança Privada? O método utilizado é o Materialismo Histórico Dialético e os principais procedimentos metodológicos adotados foram a pesquisa bibliográfica e a estatística descritiva. O recorte temporal inicial da análise histórica da legislação é a década de 1960, numa perspectiva mais ampla; e com dados empíricos a partir dos anos 2010 no Brasil. Os principais indicadores analisados foram: número de empresas; faturamento e a evolução da remuneração dos trabalhadores. Esses e outros indicadores constataram um avanço do capital privado na Indústria da Segurança no Brasil. A análise da relação entre a Divisão Social do Trabalho e a Indústria da Segurança Privada é de fundamental importância, com implicações que alteram a dinâmica social, como observados nesse trabalho: alterações na dinâmica do mercado de trabalho, precarização da força de trabalho e consumo da mercadoria segurança pelo Estado.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2212799 - VERLANE ARAGAO SANTOS
Interno - 1862007 - CHRISTIANE SENHORINHA SOARES CAMPOS
Externo à Instituição - DAYANI CRIS DE AQUINO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2022 - UFRN v3.5.16 -r18156-ca4d4a6fac