UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 23 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: INGRID RIBEIRO DA CRUZ MELO
22/07/2020 13:06


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: INGRID RIBEIRO DA CRUZ MELO
DATA: 07/08/2020
HORA: 09:00
LOCAL: PLATAFORMA VIRTUAL A SER DEFINIDA
TÍTULO: Identificação de pontos de corte da circunferência do pescoço como marcador da resistência à insulina em adolescentes
PALAVRAS-CHAVES: Adolescente. Antropometria. Pescoço. Resistência à insulina
PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Nutrição
RESUMO:

A medida da circunferência do pescoço vem sendo proposta como um indicador de gordura subcutânea da parte superior do corpo e está associdada a distúrbios metabólicos relacionados com a resistência à insulina. O presente estudo tem como objetivo identificar pontos de corte da medida da circunferência do pescoço que possam predizer a resistência à insulina em adolescentes na faixa etária de 12 a 17 anos. Trata-se de um estudo transversal realizado com uma subamostra do estudo multicêntrico nacional intitulado Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes (ERICA). O estudo foi realizado com 901 adolescentes matriculados em escolas públicas e privadas de dois municípios do estado de Sergipe, nordeste brasileiro. Dados demográficos, antropométricos e bioquímicos foram coletados. Analisou-se a resistência à insulina pelo Homeostasis Model Assessment-Insulin Resistance (HOMA-IR). Análises de regressão linear múltipla e logística foram utilizadas para avaliar a associações entre as variáveis dependentes (bioquímicas) e as variáveis independentes (antropométricas) controladas pelo índice de massa corporal, idade, sexo e estadiamento puberal de Tanner. A determinação dos pontos de corte da circunferência do pescoço para identificar resistência à insulina foi feito pela Receiver Operating Characteristic Curve (ROC Curve). O teste utilizado para a obtenção dos pontos de corte foi o Índice de Youden. A média de idade do adolescentes foi 14,7±1,5 anos. De acordo com a classificação do estado nutricional, 16% da amostra estava com sobrepeso, com maior proporção nas adolescentes do sexo feminino. A obesidade foi significativamente maior entre os adolescentes do sexo masculino (p=0,029). Observou-se uma correlação entre a medida da circunferência do pescoço com a insulina e o HOMA-IR, no sexo feminino. No sexo masculino, a medida da circunferência do pescoço não foi associada a nenhum dos marcadores glicêmicos avaliados (glicemia de jejum, insulina, hemoglobina glicada e HOMA-IR). Após ajustes para IMC, sexo e estágio de Tanner, a análise de regressão linear múltipla mostrou uma associação positiva entre a medida da circunferência do pescoço com a glicemia de jejum e a HbA1c (p<0,001) e uma associação negativa com a insulina (p<0,024). Na regressão logística, a medida da circunferência do pescoço foi o único indicador antroprométrico que se correlacionou positivamente com o HOMA-IR. As áreas sob a curva ROC para a medida da circunferência do pescoço como preditora de resistência à insulina, foram estatisticamente significantes (p<0,001) sendo maiores entre as adolescentes do sexo feminino.Os pontos de corte da circunferência do pescoço para predição da resistência à insulina foram: 30,55 cm para as adolescentes do sexo feminino púberes e 32,1 cm para pós púberes; 35,9 cm para os adolescentes do sexo masculino púberes e 36,65 cm para pós púberes. A medida da circunferência do pescoço é um indicador antropométrico simples, prático e pode ser utilizada como instrumento de triagem para identificar a resistência à insulina em adolescentes.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1632071 - DANIELLE GOES DA SILVA
Externo à Instituição - HAROLDO DA SILVA FERREIRA
Presidente - 426673 - RICARDO QUEIROZ GURGEL

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5