UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 20 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: FERNANDO DE SOUZA CRUZ
23/06/2020 18:03


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FERNANDO DE SOUZA CRUZ
DATA: 16/07/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Google Meet - link a ser enviado à banca
TÍTULO: DIÁLOGOS COM AS MEMÓRIAS DA DITADURA CIVIL MILITAR: A CONSTRUÇÃO DE UM JOGO PARA O ENSINO DE HISTÓRIA NO NÍVEL MÉDIO.
PALAVRAS-CHAVES: Memória, Ensino de História, Ditadura Civil Militar, Jogo de Tabuleiro, Comissão Nacional da Verdade.
PÁGINAS: 181
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
SUBÁREA: Ensino-Aprendizagem
RESUMO:

O presente relatório apresenta a pesquisa e a construção de jogo, voltado para a terceira série do Ensino Médio, que aborda a relação entre Memória e Ensino de História, abarcando o período conhecido na historiografia como Ditadura Civil Militar, que no Brasil se estendeu de abril de 1964 a março de 1985. Frutos de uma cultura histórica que configura parte estrutural da vida prática humana, estudantes costumam relacionar conteúdos da disciplina História a recordações pregressas individuais ou coletivas, por vezes confrontando a validade da produção historiográfica apresentada enquanto conteúdo a ser abordado no Ensino Básico. Acredita-se que tal relação seja em partes justificada pela ausência de um conceito de segunda ordem pouco trabalhado no Brasil que, todavia, assumimos ser central para esse estudo: empatia histórica. Buscou-se, através do estudo da Memória enquanto fenômeno social individual, coletivo e histórico, compreender sua realização no presente e, por conseguinte, sua utilização no Ensino de História para o Ensino Médio, elucidando sua potencialidade como elemento mobilizador para o trabalho com o a empatia histórica, além de configurar uma possibilidade enorme quando trabalhada enquanto fonte histórica para o fazer docente. Consoante a isso, a adoção da Ditadura Civil Militar como conceito substantivo, tomando como ponto de referência o Relatório da Comissão Nacional da Verdade – CNV, tem por objetivo compreender e instrumentalizar o fato histórico proposto. O estudo supracitado compõe a base teórica para a produção de um jogo de tabuleiro e um repositório de fontes digital cuja principal finalidade é a utilização desses testemunhos recolhidos pelos trabalhos da Comissão para introduzir o conteúdo nas aulas de História. Esse produto didático-pedagógico tem como eixo fundador a utilização de Memórias enquanto “objetos geradores”, propiciando a estudantes, mediados por docentes, a realização de uma abordagem histórica através de questionamentos das fontes orais produzidas pela CNV e de fontes imagéticas, as quais trazem representações do tempo presente solicitando intervenção militar no Estado brasileiro. Justifica-se a utilização deste objeto de aprendizagem enquanto instrumental lúdico como parte fundante capaz de proporcionar elementos para uma experiência mobilizadora de sentimentos em discentes, ainda que utilizada como introdução, enquanto Ensino de História, bem como uma ferramenta que viabilize o trabalho a partir da “empatia histórica”, o qual possibilitará, ao fazer docente e à aprendizagem discente uma abordagem inicial multifocal, alentando o exercício da cidadania crítica e transformadora, que busca o respeito e a luta pela garantia dos Direitos Humanos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2872833 - LUCAS MIRANDA PINHEIRO
Interno - 2542464 - FÁBIO ALVES DOS SANTOS
Interno - 8426714 - ITAMAR FREITAS DE OLIVEIRA
Externo ao Programa - 1819045 - ERICA CRISTINA ALEXANDRE WINAND
Externo à Instituição - LUIS REZNIK

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16088-62c448d53e