UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 23 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: NÚBIA FRANCA PASSOS RIBEIRO
22/06/2020 14:56


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NÚBIA FRANCA PASSOS RIBEIRO
DATA: 03/07/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Plataforma Teams
TÍTULO: "EFEITO ANALGÉSICO DA MÚSICA DURANTE A FOTOCOAGULAÇÃO RETINIANA A LASER EM DIABÉTICOS: ENSAIO CONTROLADO RANDOMIZADO CRUZADO"
PALAVRAS-CHAVES: Diabetes Mellitus. Dor nociceptiva. Fotocoagulação. Laser. Manejo da dor. Música. Retina.
PÁGINAS: 56
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

A fotocoagulação retiniana a laser é considerada tratamento de primeira escolha na terapêutica de retinopatia diabética, no entanto pode acarretar um efeito adverso importante que é a dor. O objetivo do estudo foi avaliar o efeito analgésico da música no alívio da dor em pacientes com diabetes durante a realização da fotocoagulação retiniana a laser de argônio (FRL). Trata-se de um ensaio clínico, randomizado, cruzado e cego que obedeceu aos padrões preconizados Consolidated Standards of Reporting Trials. A amostra foi aleatória simples, constituída de pacientes com DM, diagnosticados com retinopatia diabética proliferativa ou não-proliferativa muito severa, que realizaram FRL de argônio. Estes aceitaram participar da pesquisa mediante assinatura do termo de consentimento livre e esclarecido, após explanação dos objetivos da pesquisa. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Sergipe, CAAE: 85976818.4.0000.5546, número do parecer: 2.587.211. A dor foi avaliada por meio da escala verbal numérica (EVN). As variáveis categóricas foram descritas por meio de frequência absoluta e relativa percentual e as contínuas por meio de mediana e intervalo interquartil. As associações entre variáveis categóricas foram testadas por meio dos testes Qui-Quadrado de Pearson com simulações de Monte-Carlo e Exato de Fisher. A aderência das variáveis contínuas a distribuição normal foi testada pelo teste de Shapiro-Wliks, sendo não confirmada. Assim, as diferenças na escala visual analógica e demais parâmetros entre as sessões, os grupos e sequências (Experimental/Controle e Controle/Experimental) foram testadas por meio da Aligned Rank Transformed ANOVA (ART-ANOVA), teste de Mann-Whitney e Wilcoxon. O nível de significância adotado foi de 5% e o software utilizado foi o R Core Team 2020 por meio dos pacotes ARTool e emmeans. A amostra foi constituida por 20 pacientes e um total de 40 olhos, predominantemente composta por homens (60%), adultos (57,4±9,1), com baixa escolaridade (60%), com companheiro (65%), com cor de pele não branca (100%), que apresentavam outras comorbidades além do DM (65%), que apresentaram comprometimento visual há ≥1 ano (65%), cujos sintomas iniciaram bilateralmente (50%), sem histórico de dor crônica (90%). Metade dos participantes já haviam sido submetidos a FRL anteriormente. Quanto aos gêneros musicais de preferência, 50% apresentou gosto musical regional (forró, sertanejo e brega) e 50% outros gêneros (sertanejo, MPB, rock e gospel). Os pacientes que ouviram música tiveram menores escores de dor pós-procedimento (GE: 4,8±2,46) em comparação com aqueles que não ouviram música (GC: 6,75±1,59; p = 0,013). A música apresentou um tamanho de efeito analgésico grande (η^2=0,189). Em relação aos parâmetros vitais (FC, PAS, PAD e SpO2), não houve diferença estatisticamente significativa entre os grupos. Não foi evidenciada influência da sequência de alocação no efeito analgésico obtido com a intervenção musical (η^2=0,008; p=0,709). Por outro lado, a sequência de alocação esteve associada a uma diferença significativa entre as médias da PAD e SpO2 entre as sessões. A associação entre a audição de música de preferência do paciente e a analgesia farmacológica padrão possui efeito analgésico superior ao uso isolado da analgesia padrão. Pacientes com retinopatia diabética que ouviram música durante a FRL apresentaram menores escores de dor quando comparados àqueles que receberam apenas a analgesia padrão da instituição. Os parâmetros vitais avaliados não se alteraram de maneira significativa mediante o estímulo doloroso.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CAÍQUE JORDAN NUNES RIBEIRO
Externo ao Programa - 2394615 - EDUESLEY SANTANA SANTOS
Interno - 1511959 - TATIANA RODRIGUES DE MOURA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5