UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 31 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ALEX RODRIGUES MOURA
04/06/2020 10:43


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALEX RODRIGUES MOURA
DATA: 18/06/2020
HORA: 09:30
LOCAL: PLATAFORMA VIRTUAL A SER DEFINIDA
TÍTULO: TENDÊNCIAS NA INCIDÊNCIA E MORTALIDADE DO CÂNCER COLORRETAL EM UMA CIDADE DO NORDESTE BRASILEIRO
PALAVRAS-CHAVES: Demografia; Incidência; Mortalidade; Neoplasias colorretais.
PÁGINAS: 91
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

O câncer colorretal e ânus (CCR) é um problema de saúde pública no mundo e no Brasil. Vem apresentando um aumento no que tange a incidência e mortalidade, sendo vários os fatores de risco desencadeantes. Objetivos: descrever as tendências sobre a incidência e mortalidade do CCR no município de Aracaju, Sergipe, entre os anos de 1996 a 2014 através da análise estatística do Joinpoint Programa de Regressão 4.7.0.0.; determinar as proporções do CCR considerando as topografias, tipo histológico e sexo, no momento do diagnóstico; determinar as proporções de incidência e mortalidade entre os sexos; determinar o risco de óbito após o seu diagnóstico e identificar sua distribuição geográfica no município através do mapa de calor de Kernel. Resultados: de um total de 1307 casos, 61,4% correspondem às mulheres e 38,6% aos homens. Em relação aos óbitos, as mulheres contribuíram com 58,8% e os homens com 41,2%. Entre as faixas etárias de 20 a 44 anos, para o gênero masculino, houve uma tendência significativa de crescimento do CCR com a maior variação crescente anual. Para as mulheres, a tendência de crescimento, com maior variação anual observada, foi entre as mais idosas (+ 65 anos). Em relação à mortalidade, a maior tendência com significância estatística ficou para o grupo etário de mais de 65 anos do gênero masculino. As taxas ajustadas de incidência para ambos os sexos variaram entre 8,9 e 23,3/100000 e as de mortalidade variaram de 2,1 a 9,2/100 000. O risco de óbito após o diagnóstico teve como média 34,6%. O adenocarcinoma foi o mais comum subtipo histológico. Em relação à distribuição geográfica, houve pequenas mudanças dos Hotpoints durante o período de estudo, porém observou-se uma constância dos mesmos na região nordeste do município. Conclusão: o CCR vem crescendo em incidência e mortalidade de forma constante em Aracaju.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 426722 - ANGELA MARIA DA SILVA
Interno - 1695058 - MARCO ANTONIO PRADO NUNES
Externo à Instituição - Marceli de Oliveira Santos

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12838-31cfbbda77