UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: CLEBER SOUZA MENESES
14/05/2020 09:37


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CLEBER SOUZA MENESES
DATA: 20/05/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO: DIÁSPORA TRANS: MOBILIDADES E MIGRAÇÕES ESPAÇO-TEMPORAL E DE GÊNERO
PALAVRAS-CHAVES: Processos Identitários; Diásporas; Processos Migratórios; Transgeneridade.
PÁGINAS: 334
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
RESUMO:

Esta tese tem como objetivo geral analisar a intersecção entre as categorias de migrante e transgêneros, como expressão do processo de des/reconstrução identitária a partir do fenômeno da diáspora vivenciada pelas mulheres trans e travestis brasileiras. A partir do objeto desta pesquisa que prevê a interconectividade entre os processos identitários de gênero e os processos migratórios das mulheres trans e travestis, em que as posições de causa e efeito são revezadas entre si, daremos o nome de Diáspora Trans. Em um momento, a construção da identificação de gênero as leva a migrar como alternativa para se afastar da vigilância e controle dos círculos sociais que integram o seu lugar de origem ou, até mesmo, sendo expulsas pela família ao se revelarem “desviantes” da norma. Mas em outros momentos, a migração ocorre por outros fatores (trabalho e estudos) e ao se depararem com uma nova rede social, conhecerem novos espaços e lugares e acessando informações e vivências jamais possíveis quando estavam sobre a tutela da família, revela uma identificação de gênero até então não imaginada pelas próprias sujeitas desta pesquisa, que ainda não haviam se percebido trans. Adotamos uma revisão bibliográfica que compreende o referencial teórico que discute gênero e sexualidade de uma perspectiva queer, estudos trans, feministas e de gênero, somando-se às discussões sobre os processos migratórios por meio de pesquisas sociológicas e interdisciplinares, além de se debruçar sobre as legislações que tratam desta temática. O referencial teórico e os dados secundários serão postos em diálogo com os relatos orais de mulheres trans e travestis brasileiras para problematização da Diáspora Trans. O trabalho está divido em cinco capítulos (teóricos e empíricos), apresentando desde os procedimentos metodológicos até o material empírico da pesquisa, além da introdução e conclusão. Tivemos como resultado, a validação da hipótese de que as travestis e mulheres trans se constituem em sujeitas diaspóricas pela mobilidade e/ou migração, tanto no que diz respeito ao gênero quanto do ponto de vista espaço-temporal.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1494768 - MARCELO ALARIO ENNES
Interno - 1523397 - FERNANDA RIOS PETRARCA
Interno - 1546297 - PETRONIO JOSE DOMINGUES
Externo ao Programa - 1182646 - CLAUDIENE SANTOS
Externo à Instituição - OSWALDO MARIO SERRA TRUZZI

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307