UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: SHIRLEY VERÔNICA MELO ALMEIDA LIMA
08/05/2020 12:18


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SHIRLEY VERÔNICA MELO ALMEIDA LIMA
DATA: 22/05/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Plataforma virtual “Hangouts meet” (link de acesso: https://meet.google.com/veg-qkmj-vfk)
TÍTULO: Epidemiologia da tuberculose em Sergipe: uma análise multifacetada.
PALAVRAS-CHAVES: Análise Espacial. Epidemiologia. Prevenção e Controle. Tuberculose. Vulnerabilidade Social.
PÁGINAS: 132
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

A tuberculose é uma doença infecciosa conhecida mundialmente por seus fatores de vulnerabilidade, magnitude e transcendência. É considerada como um problema de saúde mundial. O Brasil tem apresentado declínio contínuo da tuberculose por uma década e meia, porém ainda é considerado um país endêmico da doença. Em Sergipe, o número de casos de tuberculose tem aumentado. A tese propôs analisar o perfil epidemiológico, espacial e temporal da tuberculose em Sergipe entre o período de 2001 a 2018. Trata-se de um estudo epidemiológico de caráter ecológico, temporal, com abordagens individuais, coletivas e espaciais considerando os Determinantes Sociais da Saúde. Foram utilizados bancos de dados oficiais do sistema de saúde brasileiro para os casos de morbidade e mortalidade da tuberculose. Os dados espaciais e sociodemográficos foram obtidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. As análises estatísticas compuseram modelos de regressão logística bivariada e multivariada, modelo de regressão hierárquico, análises de tendência e espaciais e a confecção de um nomograma de risco. Os achados evidenciaram que há uma tendência crescente nos casos de tuberculose em menores de 20 anos e entre 20-39 anos, especialmente para o sexo masculino. A cura apresentou tendência decrescente. O abandono do tratamento representou 18,21% entre os diagnosticados por tuberculose e o maior percentual de abandono foi em pessoas do sexo masculino (20%), raça/cor preta (20,3%), pessoas entre 20 – 39 anos (21,8%), com 4 a 7 anos de estudo (23,6%), reingresso após abandono prévio (58,1%), com Aids (42,3%), transtorno mental (36.8%), uso de álcool (31%), drogas ilícitas ( 39,3%), tabagista (26,5%) e população em situação de rua (55,4%). A análise preditiva mostrou que características sociodemográficas, comportamentais e epidemiológicas apresentam mais chances de abandonar o tratamento. Os indivíduos que vivem em municípios com alto IDH (OR:1,91) e alta desigualdade de renda (OR:1,81) tem chances maiores de não finalizar o tratamento. Observou-se dependência espacial quanto a taxa de incidência em quase todo território sergipano. A autocorrelação espacial mostrou clusters na região Sudeste e Norte do estado. Os óbitos por tuberculose apresentaram maior proporção entre o sexo masculino, a raça/cor parda, a faixa etária entre quarenta e cinquenta e nove anos e baixa escolaridade. A regressão logística multivariada identificou a taxa média de incidência por tuberculose (ORa: 1,06), a proporção de testagem de HIV (ORa: 7,10), pessoas sem ensino fundamental e ocupação informal (ORa: 1,26) e pessoas vivendo em domicílios urbanos sem a coleta de lixo (ORa: 0,10) como determinantes associados a municípios com maiores taxas de mortalidade por TB com curva ROC: 84% (p-valor <0,000). Conclui-se que o acesso aos serviços de saúde, a urbanização acelerada com grandes bolsões de pobreza e as condições de moradias insalubres mantem a epidemia da TB no Brasil e em Sergipe, corroborando tendências globais. A tese reconhece áreas de risco e grupo prioritários para subsidiar o planejamento em saúde, refinar o foco da atenção e fornecer evidências quanto à epidemiologia espacial e temporal da tuberculose em Sergipe.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2030768 - ALLAN DANTAS DOS SANTOS
Externo ao Programa - 2776453 - ANDREZZA MARQUES DUQUE
Externo à Instituição - CRISTIANE COSTA DA CUNHA OLIVEIRA
Presidente - 1695058 - MARCO ANTONIO PRADO NUNES
Interno - 426673 - RICARDO QUEIROZ GURGEL

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5