UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: JULIO FLAVIO VANDERLAN FERREIRA
05/05/2020 21:23


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULIO FLAVIO VANDERLAN FERREIRA
DATA: 15/05/2020
HORA: 10:00
LOCAL: Sala do Profletras de Itabaiana
TÍTULO: LEITURA LITERÁRIA DOS CONTOS DE ANTÔNIO CARLOS VIANA
PALAVRAS-CHAVES: Leitura literária; formação do leitor; recepção crítica; Antônio Carlos Viana.
PÁGINAS: 85
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Letras
SUBÁREA: Teoria Literária
RESUMO:

O presente trabalho tem como objetivo a construção de um caderno de leitura literária, além de apresentar reflexões sobre oficinas de leituras com textos literários que foram aplicadas numa turma do 9º ano numa escola da rede pública estadual no interior de Sergipe. A partir da aplicação das oficinas, dados foram colhidos para reflexão e elaboração do produto, no caso, o caderno pedagógico. Tal material foi feito com uma proposta de leitura que forma leitores críticos quanto a sua realidade social e capazes de apreciar as camadas estéticas das obras trabalhadas. Os textos utilizados foram os contos “Santana Quemo-Quemo”, “Dia de parir cabrito” ambos presentes na obra Cine Privê (2009) e “Herança”, do livro O meio do mundo e outros contos (1999), do escritor sergipano Antônio Carlos Viana. Suas narrativas foram escolhidas por tratarem de problemas sociais a partir da visão de seus narradores que são aparentemente crianças ou adolescentes. A análise das leituras aconteceu de maneira a se verificar a banalização do sofrimento oriundo da pobreza. As temáticas das obras se aproximam bastante da realidade de grande parte dos leitores. A intenção foi de proporcionar uma recepção crítica por parte dos discentes, privilegiando as camadas estéticas do texto a partir das vivências sociais dos leitores. Como base teórico-metodológica, utilizamos os conceitos de Annie Rouxel (2014), os quais preconizam que a leitura literária seja um momento de “liberação de emoções” por parte do leitor, bem como valorização das “memórias subjetivas” do mesmo, além de Carlos Gomes (2012) que mostra a leitura como uma prática pedagógica que valoriza o local social do leitor no processo de construção de sentido do texto, bem como a discussão politizada sobre a recepção do tecido literário. Contribuindo também para o processo de abordagem do texto, utilizamos os aportes teóricos do método recepcional de Bordini e Aguiar (1993) e o leitor de Eco (2011), dentre outros teóricos que abordam questões reflexivas sobre ensino de literatura, didática da literatura, educação literária e letramento literário.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 95283 - CARLOS MAGNO SANTOS GOMES
Interno - 1687732 - JEANE DE CASSIA NASCIMENTO SANTOS
Externo à Instituição - MARIA DE FÁTIMA BERENICE DA CRUZ

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16104-201f40f5e2