UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 30 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: ALEXANDRE DE OLIVEIRA SILVA
04/05/2020 14:56


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALEXANDRE DE OLIVEIRA SILVA
DATA: 20/05/2020
HORA: 15:00
LOCAL: PROPADM UFS
TÍTULO: ENTRAVES NA UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DE SERGIPE
PALAVRAS-CHAVES: Gerenciamento de Projetos, Sistemas de Informação, Sistemas de Informação do Gerenciamento de projetos, Maturidade
PÁGINAS: 40
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Administração
SUBÁREA: Administração de Empresas
RESUMO:

As metodologias de Gerenciamento de Projetos têm se tornado mais importantes no desenvolvimento econômico e, negócios realizados com tais metodologias, mais relevantes em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) mundial. No Brasil, a realidade não é diferente. A indústria da construção, por exemplo, tende a gerenciar suas operações por meio de projetos que costumam representar entre oito e doze por cento do PIB, sendo a indústria uma impulsionadora do desenvolvimento econômico do país. Considerando tamanha importância do setor, é indispensável que a referida indústria continue buscando inovar e utilizar novas tecnologias e metodologias que a possibilitem executar seus empreendimentos e superar a tripla restrição de tempo, custo e qualidade. Dentre as várias tecnologias disponíveis, destacam-se os Sistemas de Informação de Gerenciamento de Projetos (SIGP), visto que têm o potencial de integrar gerenciamento do escopo, do tempo, dos custos, da qualidade, dos recursos humanos, das comunicações, dos riscos, das aquisições e das partes interessadas (stakeholders). Além disso, registra e dispensa duplicidade de entrada de informações intercambiáveis entre esses módulos e seus submódulos adicionando eficiência, controle de projeto e uma governança mais robusta a projetos dos mais simples aos mais complexos. Entretanto, apesar do seu grande potencial, os SIGPs ainda não têm se mostrado suficiente ou adequadamente presentes para cumprir esse papel na indústria da construção. Posto isto, o objetivo do estudo é avaliar quais são as principais dificuldades para a utilização dos SIGPs em empresas do setor de construção em Sergipe. A pesquisa também apresenta as funcionalidades e benefícios dos SIGPs, identifica sua utilização em empresas de diversos portes da construção civil e, caracteriza a maturidade no Gerenciamento de Projetos dessas empresas e, por fim, investiga as dificuldades associadas à utilização dos SIGPs nas empresas estudadas. Quanto à metodologia, a presente pesquisa é de natureza quantitativa e qualitativa e caracterizada como exploratória e descritiva. Inicialmente, a pesquisa foi realizada por meio de uma revisão da literatura sobre o Gerenciamento de Projetos, os SIGPs e modelos de maturidade. A partir disso foi possível entender que, para a utilização de um sistema de informação complexo como um SIGP, algumas pré-condições devem estar presentes na organização. O indicativo de tais pré-condições e o critério de seleção para as empresas a serem estudadas foi o seu nível de maturidade do gerenciamento de projetos. Dentre vários modelos existentes, o PRADO-MMGP (2015) foi escolhido por possuir dados históricos nacionais e assemelhar-se a modelos internacionalmente aceitos. Assim, foi aplicado um survey de maturidade para trinta e seis (36) empresas. Dentre as empresas escolhidas, segundo Kerzner (2001), somente aquelas com maior nível de maturidade têm alguma condição de implementar SIGPs. Portanto, após a identificação das organizações com maior grau de maturidade, o método utilizado para a análise final acerca dos entraves para a utilização dos SIGPs no setor da construção em Sergipe foi um estudo de múltiplos casos com cinco dessas empresas. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas, e triangulação de informações com o survey realizado e a revisão teórica para entender quais são as maiores restrições para a utilização dos SIGPs. Como resultados, a análise do survey demonstrou que somente nove por cento (9%) das empresas respondentes haviam apresentado características adequadas para a utilização adequada e completa dos SIGPs, por serem aderentes principalmente às dimensões metodologias do GP e informatização. Já no estudo de múltiplos casos, foram identificados diversos entraves para a utilização dessas tecnologias, dentre eles: deficiências na padronização e metodologias de PM, falta de uniformidade no entendimento do sistema; resistência na utilização; dificuldades de recursos e estrutura organizacionais; além de problemas de qualidade do sistema; qualidade da informação e qualidade do serviço dos SIGPs, o que compromete frontalmente a difusão e utilização em escala da tecnologia na indústria da construção.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1791750 - FLORENCE CAVALCANTI HEBER PEDREIRA DE FREITAS
Interno - 1224228 - MARIA CONCEICAO MELO SILVA LUFT
Interno - 2501207 - VERUSCHKA VIEIRA FRANCA
Externo ao Programa - 2215167 - MARCOS EDUARDO ZAMBANINI

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12838-31cfbbda77