UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 24 de Junho de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: ÉDIPO PAIXÃO SILVA DE JESUS
20/04/2020 17:05


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ÉDIPO PAIXÃO SILVA DE JESUS
DATA: 15/05/2020
HORA: 14:00
LOCAL: a definir (Sala Multiuso do PPEC a confirmar)
TÍTULO: BIOCIDAS ANTI-INCRUSTANTES ASSOCIADOS À NANOPARTÍCULA: EFEITOS NA SOBREVIVÊNCIA E CRESCIMENTO DO MICROCRUSTÁCEO MARINHO Mysidopsis juniae
PALAVRAS-CHAVES: Toxicidade aguda; Toxicidade crônica; nanomateriais; bioincrustação; misídeo.
PÁGINAS: 40
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

A incrustação biológica em embarcações e demais estruturas marítimas é um problema para o setor, uma vez que pode elevar o consumo de combustível, reduzir a produtividade e facilitar a disseminação de espécies não-nativas. Tintas anti-incrustantes são utilizadas nas superfícies submersas de navios, barcos e estruturas aquáticas para impedir o assentamento e o desenvolvimento de organismos. Entretanto, as substâncias biocidas utilizadas podem gerar poluição nos ambientes aquáticos acarretando efeitos tóxicos adversos em organismos não-alvo. O composto 4,5-dichloro-2-octyl-isothiazolone (DCOIT), considerado um biocida “verde” e menos agressivo ao ambiente. Sendo assim, este estudo teve como objetivo investigar a toxicidade do DCOIT em combinação com a prata e a nanopartícula de sílica (SiNC), que maximizam e prolongam os efeitos do princípio ativo, no microcrustáceo marinho Mysidopsis juniae no intuito de (i) avaliar a toxicidade dos compostos em exposição aguda (96h); (ii) avaliar se os compostos podem causar retardo no crescimento (comprimento total e peso seco) do mísideo (7d); (iii) avaliar qual dos compostos selecionados apresenta menor toxicidade aos organismos-teste. Os resultados para o ensaio de toxicidade aguda mostraram que dentre os componentes ativos avaliados o DCOIT demonstrou ser mais tóxico que a Ag. Já o nanomaterial vazio (SiNC) foi menos tóxico do que quando associados aos componentes ativos (SiNC-DCOIT e SiNC-Ag), sendo que a combinação SiNC-DCOIT reduziu cerca de 2 vezes a toxicidade do DCOIT isolado, e a combinação da SiNC-Ag aumentou em 50 vezes a toxicidade da Ag. O composto SiNC-DCOIT-Ag mostrou menor toxicidade aguda do que o DCOIT na forma isolada e em combinação par a par. Nas exposições crônicas foi possível observar que o peso foi o endpoint mais afetado. Assim como na exposição aguda, a Ag teve sua toxicidade crônica aumentada (cerca de 14x) quando em combinação com o nanomaterial. Em comparação com a combinação SiNC-Ag foi possível observar que o SiNC-DCOIT-Ag foi até 10x menos tóxico. Além disso, foi possível observar que o DCOIT na forma isolada afetou o peso dos misídeos em concentração inferior (6 µg.L-1) ao composto SiNC-DCOIT-Ag (10,80 µg.L-1). Com isso, foi possível concluir que a combinação dos três compostos apresentou menor toxicidade tanto nos ensaios de toxicidade aguda quanto nos ensaios de toxicidade crônica de curta duração em comparação aos compostos ativos isolados, reforçando dados obtidos para espécies de ambientes temperados sobre o potencial uso do nanomaterial para redução de toxicidade a espécies não-alvo.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1775420 - GUSTAVO LUIS HIROSE
Presidente - 1857524 - JEAMYLLE NILIN GONCALVES
Externo à Instituição - ROBERTO CARLOS DOMINGUES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9