UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: SANDRO MARTINS DE ASSUMPCAO
16/03/2020 08:09


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SANDRO MARTINS DE ASSUMPCAO
DATA: 31/03/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do DFA
TÍTULO: Tradução, adaptação transcultural e validação de instrumento de avaliação da consulta farmacêutica
PALAVRAS-CHAVES: farmácia clínica, consulta farmacêutica, adaptação transcultural.
PÁGINAS: 45
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Introdução: Nas últimas décadas a profissão farmacêutica testemunhou grandes mudanças de prática, especialmente após a introdução dos conceitos de farmácia clínica. Nesse novo contexto, o farmacêutico passa a atuar no cuidado direto ao paciente promovendo o uso racional de medicamentos. Diante desse cenário, existe a necessidade de se avaliar as habilidades desses profissionais em consultas, de modo de que esse serviço clínico seja entregue ao paciente de forma efetiva e não existe no Brasil um instrumento validade para avaliação da consulta farmacêutica.Objetivo: realizar a adaptação transcultural e validação para a língua portuguesa do instrumento de avaliação da consulta farmacêutica denominado The Medication-Related Consultation Framework (MRCF). Metodologia: Dois revisores exibiram independentemente os títulos, resumos e relatórios de texto completo para confirmar a elegibilidade. Três categorias foram usadas na seleção do título e abstrato: 'sim', 'não' e 'talvez'. No caso de dúvidas (categoria'talvez'), o estudo foi selecionado para avaliação do texto completo, nesta fase, as divergências foram resolvidas por consenso entre os dois revisores (Figura 2). A estratégia foienviada para uma plataforma online conhecida como Google Forms. O Google Forms permitirá que você gerencie seus artigos e também permita que os autores colaborem simultaneamente. A equipe de revisão terá treinamento sobre como usar o Google Forms antes do início do estudo para garantir a calibração de formulários e métodos de coleta de dados. A abstração completa dos dados prosseguirá apenas com a> 75% de concordância em toda a equipe. Se for constatado um acordo ruim, o formulário de abstração de dados será esclarecido e o exercício de treinamento será repetido. Posteriormente, todos os níveis de triagem e abstração de dados serão conduzidos por dois revisores, independentemente. Os conflitos serão resolvidos por um terceiro revisor. Um piloto de 20 estudos será realizado para calibrar a forma de estudo e avaliar o nível de concordância. A pesquisa será de acordo com as recomendações das diretrizes da PRESS 2015 [11], de acordo com as seguintes variáveis: tradução da questão da pesquisa; operadores boolean e proximidade; títulos de assunto (específico do banco de dados); pesquisa de texto palavra; limites e filtros. A avaliação do risco de viés não será realizada porque esta é uma revisão de escopo. Isso é consistente com o Manual do Instituto Joanna Briggs e revisões de escopo sobre temas relacionados à saúde. Resultados: Dos cinco artigos analisados, apenas um apresentava testes de confiabilidade e validade. No que concerne aos outros estudos, apenas um artigo apresentou teste de validade (Hussain et al, 2015) e confiabilidade. Nos cinco estudos selecionados, três foram totalmente focados em avaliar e documentar o comportamento dos farmacêuticos durante a consulta de aconselhamento, desses, dois estudos também tiveram um foco educacional destinado a melhorar as efetivas habilidades de comunicação. Apenas um estudo, de Hussain et al, 2015, além de avaliar o comportamento do farmacêutico em consulta, avaliou também a percepção do paciente à essa consulta. O estudo Kovačević et al, conduzido em 2017 na Sérvia, objetivou, quase exclusivamente, em avaliar a percepção dos pacientes em relação aos serviços prestados pelo profissional durante a consulta prestada pelo farmacêutico. Todos os estudos conseguiram descrever, em diferentes graus, as competências e habilidades farmacêuticas em relação à comunicação na prática da farmácia, como: interação com o paciente, condução da consulta, identificação dos problemas relacionados ao uso dos medicamentos, dentre outras.Conclusão: Torna-se evidente que o uso desses instrumentos, como uma estratégia de padronização de condutas, permite uma melhor avaliação do profissional farmacêutico, podendo contribuir assim na melhoria dos serviços prestados ao paciente, bem como ter papel de destaque na sua formação. A importância desse estudo se define por abranger os atuais instrumentos ou ferramentas para o desenvolvimento da avaliação de competências, na área clínica da farmácia, com detalhamentos sobre cada um deles o que pode contribuir para a melhoria na formação dos profissionais, e futuros profissionais, com relação à prática clínica do farmacêutico.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CARLOS ADRIANO SANTOS SOUZA
Presidente - 1334092 - FRANCILENE AMARAL DA SILVA
Interno - 2027473 - MARCELO CAVALCANTE DUARTE
Interno - 2337777 - ROGERIA DE SOUZA NUNES
Externo à Instituição - WALLERI CHRISTINE TORELLI REIS

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307