UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: MONIKA VALERYA BARBOSA SANTANA SANTIAGO
28/02/2020 17:44


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MONIKA VALERYA BARBOSA SANTANA SANTIAGO
DATA: 27/03/2020
HORA: 08:30
LOCAL: a definir
TÍTULO: A Língua Portuguesa como L2 para surdos: proposta de intervenção a partir do uso de flashcards
PALAVRAS-CHAVES: Surdos. Leitura. Multimodalidade. Língua portuguesa como segunda língua.
PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Letras
SUBÁREA: Língua Portuguesa
RESUMO:

A educação de surdos no Brasil sempre careceu de medidas mais concretas para cumprir o seu verdadeiro objetivo, uma educação de qualidade que promova a equidade de oportunidades. Percebe-se que crenças equivocadas em relação à aprendizagem desse público presentes em metodologias – inapropriadas – geralmente adotadas não surtem o efeito que é previsto, por exemplo, em documentos oficiais. Assim, frisa-se a necessidade de materiais específicos que respeitem as peculiaridades no ensino-aprendizagem dos alunos surdos. Este estudo foi desenvolvido com três alunos surdos do corpo discente e uma escola do município de Itabaiana-SE do turno matutino, contudo a pesquisa foi realizada em contra turno. A presente pesquisa visa, através de flashcards – que são pequenos pedaços de papel, cartolina ou outro material, utilizados como ferramenta para o aprendizado e memorização de conteúdos - oferecer aos surdos um material multimodal que os permita aprender a Língua Portuguesa como segunda língua no que tange, principalmente, à prática de leitura destes discentes, enfatizando a sua condição de bilíngue e utilizando referenciais teóricos que permitam que o ensino desenvolvido seja hibrido e se adeque às necessidades dos discentes em questão. Os flashcards serviram como suporte para o ensino da leitura em português de receitas culinárias, assunto de grande interesse entre os participantes. Através de uma série de oficinas e de uma abordagem multimoda conjugada ao uso da LIBRAS, os alunos trabalharam a compreensão da língua portuguesa. O aporte teórico que baliza esta pesquisa inclui Martinez (2009,) que apresenta reflexões sobre a problemática do ensino; Gesser (2009), Figueira (2011), Strobel (2009), Maia (2017) e Quadros (2019) que colaboram para a contextualização histórica da educação do surdo e sua situação bilíngue; Silva, Kumada, Nogueira (2012), Karnopp (2002), Andrighetti, Schoffen (2012), que trabalham com a Língua Portuguesa como L2; Santos (2012), que aborda projetos educacionais para surdos e Gesueli (2011) que ressalta a importância do aspecto visual no ensino de surdos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2225701 - ANA FLORA SCHLINDWEIN
Interno - 95283 - CARLOS MAGNO SANTOS GOMES
Externo à Instituição - IVANI RODRIGUES SILVA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16104-201f40f5e2