UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: RAISSA DA MOTA COELHO
19/02/2020 13:38


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAISSA DA MOTA COELHO
DATA: 19/02/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU sala 27
TÍTULO: TENDÊNCIA DA INCAPACIDADE PARA O TRABALHO POR DOENÇA VENOSA NO BRASIL E AVALIAÇÃO DA DEFICIÊNCIA EM PESSOAS COM ÚLCERAS CRÔNICAS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
PALAVRAS-CHAVES: Doença venosa crônica. Incapacidade. Seguridade social. Série temporal. Úlceras crônicas. Úlceras de membros inferiores.
PÁGINAS: 82
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

A doença venosa crônica (DVC) possui elevada prevalência, implicaçõessocioeconômicas significativas e é a principal causa de úlceras crônicas demembros inferiores (UC). Com o envelhecimento populacional e aumento daprevalência das doenças crônicas, o número de pessoas com incapacidades oudeficiências tende a crescer. No entanto, a padronização na avaliação dadeficiência em diferentes populações permanece um desafio. Os objetivos desteestudo foram analisar a tendência temporal da incapacidade para o trabalhoocasionada pela DVC no Brasil e avaliar deficiência em pessoas com UC naatenção primária à saúde. Para isso, foram realizados uma análise de sérietemporal de 2005 a 2014 e um estudo transversal na comunidade. Na análise desérie temporal foi utilizado o banco de dados do Instituto Nacional do SeguroSocial (INSS). Os casos de incapacidade para o trabalho devido à DVC foramidentificados pelo intervalo da CID-10: I83-I83.9. As tendências temporais foramcalculadas com o Programa de Regressão Joinpoint. As variações percentuaisanuais (APC) foram obtidas a partir das taxas brutas e padronizadas por idade.No estudo transversal, os casos de UC foram identificados pelas equipes desaúde da família de todas as unidades de atenção primária à saúde de AracajuSE. Para avaliação da deficiência foi utilizada a versão do World HealthOrganization Disability Assessment Schedule 2.0 (WHODAS 2.0) de 36 itens,aplicada por entrevista. A análise da série temporal demonstrou que de 2005 a2014, foram concedidos 429.438 benefícios por incapacidade temporária para otrabalho ocasionados pela DVC com tendência crescente e variação percentualanual de 3,4 (IC 95%: 2,6-4,2). A maioria dos trabalhadores era do sexo feminino(68,2%). Maior tendência de crescimento foi observada entre as mulheres. Nototal, foram perdidos 27.017.818 dias de trabalho. A duração média dosbenefícios foi de 55,3 dias e o número de dias em benefício dobrou de 2005 para2014. A despesa da seguridade social aumentou cerca de 3,5 vezes no período.Participaram do estudo transversal 146 pessoas com UC. A maioria era do sexofeminino (60,3%), com idade > 60 anos e úlcera aberta há mais de 2 anos(67,8%). A DVC (65,8%) foi a principal causa de UC. Verificou-se percentualelevado de indivíduos com hipertensão (58,2%), diabetes (43,8%) e obesidade(36,3%). Deficiência foi identificada em 95,2% dos casos e o escore total doWHODAS 2.0 foi de 28,5 + 14,7. Os domínios mais afetados foram atividades devida (51,7 + 31,7), mobilidade (50,1 + 25,4) e participação (40,8 + 16,6). Com arealização desses estudos, conclui-se que a incapacidade para o trabalhoocasionada pela DVC e a despesa da seguridade social apresentam tendênciacrescente, com milhões de dias de trabalho perdidos, principalmente entre asmulheres. Além disso, constatou-se que a maioria das pessoas com UCidentificadas na comunidade tem deficiência. Medidas para reduzir aincapacidade/deficiência ocasionada pela DVC e UC são necessárias e devemcontemplar tratamento adequado, acompanhamento com equipe multidisciplinare reabilitação. Estratégias para prevenção da incapacidade no ambiente dotrabalho também devem ser encorajadas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 426722 - ANGELA MARIA DA SILVA
Interno - 154.064.405-78 - CARLOS ANSELMO LIMA
Externo à Instituição - CRISTIANE COSTA DA CUNHA OLIVEIRA
Externo à Instituição - GENILDE GOMES DE OLIVEIRA
Externo à Instituição - MARCOS ANTONIO COSTA DE ALBUQUERQUE

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12692-c69972fb69