UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: HEITOR GOMES DE ARAUJO FILHO
18/02/2020 15:05


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: HEITOR GOMES DE ARAUJO FILHO
DATA: 20/02/2020
HORA: 08:00
LOCAL: Mini Auditório do Departamento de Fisiologia - Campus São Cristóvão
TÍTULO: D-LIMONENO E ÁLCOOL PERÍLICO ACELERAM A REGENERAÇÃO E ATENUAM A DOR NEUROPÁTICA APÓS LESÃO DE NERVO PERIFÉRICO
PALAVRAS-CHAVES: Monoterpenos. Produtos naturais. d-limoneno. Álcool perílico. Regeneração nervosa.
PÁGINAS: 120
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A lesão do nervo periférico é comum e afeta indivíduos de todas as esferas da vida. Muitos desses pacientes apresentam recuperação incompleta, com a consequente incapacidade resultando em custos sociais e pessoais substanciais. O direcionamento de etapas específicas nas vias moleculares pode permitir o aprimoramento farmacológico da regeneração, potencialmente levando a uma melhor recuperação funcional após a lesão. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar a capacidade regenerativa de d-limoneno (LIM) e álcool perílico (POH) em um modelo animal de lesão por esmagamento do nervo ciático. Utilizaram-se camundongos machos e, para indução da lesão, o nervo ciático direito dos animais foi esmagado com pinça hemostática não serrilhada. Os animais foram tratados diariamente por 28 dias e, durante esse período, foram avaliados quanto à hiperalgesia mecânica (usando um analgesiômetro), participação de astrócitos por imunofluorescência para GFAP (proteína glial fibrilar ácida) e ELISA para quantificar IL-1β e TNF-α na medula espinhal. Além disso, foi realizada análise de western blot das seguintes proteínas: GFAP, GAP-43, NGF e ERK. Para análise do déficit motor, foram realizados testes para avaliar a força muscular e as pegadas das patas traseiras através da marcha (SFI). POH e LIM aceleraram o processo regenerativo quando comparado ao controle; no entanto, a POH foi mais eficaz, particularmente entre a segunda e a terceira semana após a lesão do nervo, aumentando o GAP-43, o NGF e o imunoconteúdo fosforilado da ERK, reduzindo a hiperalgesia e a astrocitose subsequente e melhorando os déficits motores.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 3571566 - JULLYANA DE SOUZA SIQUEIRA QUINTANS
Interno - 1698148 - ENILTON APARECIDO CAMARGO
Interno - 1467719 - LUCINDO JOSE QUINTANS JUNIOR
Interno - 2190308 - MARCIO ROBERTO VIANA DOS SANTOS
Externo à Instituição - Henrique Douglas Melo Coutinho

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307