UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: MONICA MARCELA DUQUE GALLEGO
07/02/2020 08:42


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MONICA MARCELA DUQUE GALLEGO
DATA: 19/02/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU sala 26
TÍTULO: Variações no estado nutricional e sobrevida em pacientes com doença renal crônica em diálise.
PALAVRAS-CHAVES: Desnutrição. doença renal crônica. hemodiálise. mortalidade.
PÁGINAS: 107
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Nutrição
RESUMO:

A doença renal crônica, caracterizada pela perda lenta, progressiva e quase sempreirreversível das funções renais, possui natureza multifatorial e muitas vezes diagnosticadano seu estágio final, quando se faz necessário tratamento renal substitutivo. No Brasil, ospacientes em diálise aumentaram em 4,2 vezes nos últimos 15 anos. Diversos fatorespredispõem esses pacientes à desnutrição, que tem sido associada à comorbidades epode conduzir ao aumento de hospitalizações e a mortalidade. Objetivo: avaliar aassociação entre as alterações no estado nutricional e a mortalidade de pacientesincidentes em diálise no primeiro ano de tratamento. Metodologia: Realizaram-se (1) umestudo observacional de coorte retrospectivo de pacientes incidentes em hemodiálise comdados disponíveis de avalição global subjetiva (AGS) tanto no início do tratamento e 12meses após o início da diálise entre 01/01/2017 e 31/12/2017 em uma clínica privada emAracaju – Sergipe, por um período de acompanhamento de um ano. O estado nutricionalfoi definido como bem nutrido (BN, AGS: A) ou desnutrido (D, AGS: B ou C). Os pacientesforam divididos em 4 grupos, de acordo com a mudança no estado nutricional entre alinha de base e 12 meses após o início da diálise: grupo 1, BN para BN; grupo 2, D a BN;grupo 3, BN para D; e grupo 4, D a D. Foi realizada a análise de risco proporcional de Coxe a análise das curvas de Kaplan-Meier para esclarecer a associação entre alterações noestado nutricional e a mortalidade (nível de significância de 5%). O estudo foi aprovadopelo comitê de ética em pesquisa com seres humanos da Universidade Federal deSergipe (parecer 2.869.073), e (2) uma revisão sistemática com metanálise, objetivandoobter evidência científica a respeito da associação entre estado nutricional e mortalidadeem pacientes renais crônicos. Resultados: Foram avaliados 79 pacientes incidentes emhemodiálise, com média de idade de 54 anos (42% ≥ 60 anos), 65% homens, 93,7%hipertensos e 55,7% diabéticos. Dezesseis pacientes (20%) faleceram durante o períodode observação. Estar no grupo de pacientes desnutridos (D) aos 12 meses após o inícioda diálise foi um fator de risco significativo para mortalidade. Houve diferençassignificativas nas estimativas de sobrevida para um tempo de 14 meses entre os grupos(grupo 1: 89,7%; grupo 2: 77,8%; grupo 3: 68,2%; e grupo 4: 30,0%; teste log-rank, P<0,000). A análise de regressão multivariada de Cox evidenciou que o risco demortalidade foi: significativamente maior no grupo 4 do que no grupo 1 (HR 81.7, IC 95%13.76 –1774.1, P=0,005); significativamente menor no grupo 2 do que no grupo 4; e semdiferença significativa entre os grupos 1 e 2. Na metanálise, os estudos com um tamanhode amostra representativa e um apropriado tempo de acompanhamento mostraramresultados mais consistentes na relação das alterações nutricionais e de mortalidadeConclusão: As alterações no estado nutricional avaliadas pela Avaliação Global Subjetivadurante o primeiro ano de diálise foram associadas à mortalidade por todas as causas empacientes incidentes em Hemodiálise.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2394615 - EDUESLEY SANTANA SANTOS
Externo à Instituição - JOSE CAROLINO DIVINO FILHO
Presidente - 3113466 - KLEYTON DE ANDRADE BASTOS
Interno - 426673 - RICARDO QUEIROZ GURGEL
Interno - 577945 - ROSANA CIPOLOTTI

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5