UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 28 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: TALITA DIONIZIO SANTOS
04/02/2020 13:42


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TALITA DIONIZIO SANTOS
DATA: 07/02/2020
HORA: 14:00
LOCAL: SALA A DEFINIR
TÍTULO: EFEITO DA FOTOBIOMODULAÇÃO A LASER ASSOCIADO AO SEALER PLUS BC NA FORMAÇÃO DE TECIDO ÓSSEO
PALAVRAS-CHAVES: laser semicondutor, cimento endodôntico, reparação óssea.
PÁGINAS: 55
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
SUBÁREA: Clínica Odontológica
RESUMO:

O processo de reparação óssea tem obtido resultados promissores quando da utilização da fototerapia a laser e materiais biocerâmicos, como terapia auxiliar em casos onde envolvem perdas teciduais. Este trabalho propõe avaliar in vivo a reação inflamatória e formação de tecido ósseo em fêmur de ratos, associando um cimento endodôntico biocerâmico (Sealer Plus BC) e fotobiomodulação a laser, por meio de ensaios histológicos e histomorfométricos. Para tal, quarenta ratos da linhagem Wistar albinus foram divididos aleatoriamente nos seguintes grupos: grupo controle (CTR), grupo Sealer Plus BC (SP), grupo Laser (LS) e grupo Sealer Plus BC/Laser (LSSP). Sob anestesia geral, no grupo LS o defeito ósseo foi confeccionado no fêmur direito de cada animal e irradiado com laser, seguindo o parâmetro (λ = 808nm, P= 100 mW, DE = 80 J/cm² por ponto, 22 seg/ponto, E=2,2J por ponto); no grupo LSSP o defeito ósseo foi confeccionado, preenchido com o Sealer Plus BC e irradiado com o laser, seguindo o mesmo protocolo do grupo LS; no grupo SP o defeito ósseo foi confeccionado e preenchido com Sealer Plus BC; no grupo CTR o defeito ósseo foi confeccionado, porém não houve conduta terapêutica adicional. A remoção do fêmur de cada animal ocorreu após eutanásia em 7 e 21 dias. Após análise histomorfométrica os dados foram submetidos à análise de variância com nível de significância 5% (p≤0,05). A morfometria da formação óssea não revelou diferença significativa entre SP (6,59 ± 0,31 µm2 ), LS (7,20 ± 0,17 µm2 ) e LSSP (6,61 ± 0,16 µm2 ). Todos os grupos apresentaram cicatrização óssea significativamente aumentada em comparação com a CTR (5,51 ± 0,17 µm2 ). A média de osteoblastos aumentou significativamente em LS (8953,1 ± 70,5 células/mm) e LSSP (1030,1 ± 56,7 células/mm) em comparação com a CTR (659,6 ± 41,7 células/mm). Nenhuma diferença significativa entre o SSPBC (810,5 ± 74,9 células/mm) e CTR ou com LS e LSSP. A média de osteócitos/mm2 de osso neformado aumentou significativamente em LS (1239,1 ± 76,0 células / mm2 ) e LSSP (1193,1 ± 63,9 células/ mm2 ) em comparação com a CTR (935,1 ± 29,1 células/mm2 ) e SSBC (984,2 ± 37,0 células/mm2 ). Além disso, não foi observada diferença significativa entre CTR e SSPBC (p> 0,05), bem como entre LS e LSSP (p> 0,05). Desta forma, a associação da fotobiomodulação a laser no protocolo de irradiação utilizado neste estudo com o biomaterial, promoveu aceleração no processo de reparo ósseo, bem como qualidade mais expressiva do osso neoformado.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 3080628 - MELKA COELHO SA
Presidente - 1783432 - PAULO HENRIQUE LUIZ DE FREITAS
Interno - 2021396 - WILTON MITSUNARI TAKESHITA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12762-01b8f192c5