UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 15 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MAIARA PEDRAL DOS SANTOS
24/01/2020 15:59


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MAIARA PEDRAL DOS SANTOS
DATA: 28/02/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 2A do DBI/UFS
TÍTULO: ESTIMATIVA DO POTENCIAL DE PRODUÇÃO DE BIOMASSA DE ÁREAS DE CAATINGA ABERTA ATRAVÉS DE ANÁLISE INTEGRADA DE SENSORIAMENTO REMOTO E MODELAGEM AMBIENTAL
PALAVRAS-CHAVES: Estoque de Carbono. Floresta seca. Modelo Century. Semiárido.
PÁGINAS: 20
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

A Caatinga faz parte do domínio das Florestas Tropicais Sazonalmente Secas (FTSS) e consiste em uma das áreas semiáridas de maior densidade populacional do planeta. Esta formação vegetal é composta por diferentes tipos de fitofisionomias, as quais podem ser determinadas tanto por condições edafoclimáticas quanto por atividades antrópicas. No primeiro caso, as diferenças podem estar relacionadas às condições climáticas locais aliadas a outros fatores ecológicos como características químicas e físicas do solo. No segundo caso, sua vegetação é responsável pelo fornecimento de múltiplos serviços ecossistêmicos essenciais relacionados à subsistência dos sertanejos e o uso histórico intenso e insustentável desses recursos pode ter resultado em estágios de sucessão secundária. Identificar e classificar as áreas de Caatinga Aberta é de suma importância para otimização e direcionamento de recursos com finalidade de conservação e/ ou recuperação. Diante desse contexto o presente trabalho tem por objetivo identificar as áreas de Caatinga Aberta do semiárido brasileiro classificando-as em i) naturais e ii) decorrentes de processos antrópicos. A classificação será feita utilizando uma análise integrando modelagem de ciclagem biogeoquímica e sensoriamento remoto. Serão utilizados dados de campo coletados no âmbito de estudos realizados pela Rede de Estudos de Carbono da Região Nordeste do Brasil (REDE C-NE) para calibração e validação do modelo Century, o qual será utilizado para estimar os estoques de carbono na biomassa aérea. Este mesmo parâmetro ambiental também será estimado por meio de índices de vegetação obtidos a partir de imagens de satélite. Os resultados obtidos através de ambas as metodologias serão comparados de modo que o resíduo (diferença entre os valores de estoque de carbono na biomassa através de modelagem biogeoquímica e imagem satelitária) será considerado um indicador do potencial de incremento na produção em cada sítio. Através desse mapeamento serão fornecidos dados detalhados e atualizados sobre estoque de carbono na biomassa fechando uma das lacunas de informações existentes acerca das áreas de Caatinga. Os dados levantados irão contribuir para proposição de políticas públicas relacionadas ao uso e manejo da terra, visando a devida restauração e conservação desse importante ecossistema.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2019940 - ALEXANDRE DE SIQUEIRA PINTO
Externo ao Programa - 1078504 - AIRON JOSE DA SILVA
Externo à Instituição - JOSE HENRIQUE DE ALBUQUERQUE RANGEL

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15368-99f189d34b