UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 24 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MÁRCIA CRISTINA TELES XAVIER
24/01/2020 15:53


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MÁRCIA CRISTINA TELES XAVIER
DATA: 20/02/2020
HORA: 13:00
LOCAL: Sala de Reuniões do Complexo Laboratorial da Biologia e Engenharia Florestal
TÍTULO: Paleoecologia Isotópica de Megamamíferos Pleistocênicos em Regiões Semiáridas da Bahia, Brasil
PALAVRAS-CHAVES: Dieta isotópica, Assinatura tafonômica, Glyptodontidae
PÁGINAS: 79
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

Na Região Intertropical Brasileira (RIB) – área de estudo desta pesquisa – a fauna característica era composta predominantemente por megamamíferos e mamíferos de grande porte que viveram até por volta de 10 mil anos antes do presente (A.P.). Estudos recentes têm demonstrado cada vez mais que a RIB não seria uma zona totalmente homogênea, apresentando diferenciação de nichos e diferentes porções da mesma e que a fauna pleistocênica não estaria restrita geocronologicamente ao Pleistoceno Final, mas que também esteve presente durante o Pleistoceno Médio e chegado ao Holoceno, período em que situam a extinção da megafauna, segundo as hipóteses mais aceitas. Neste trabalho buscou-se entender a dinâmica paleoambiental ocorrida em afloramentos fossilíferos do tipo tanque, situados no município de Jaguarari – Sítio Lajedo II; no município de Campo Formoso nos Sítios Fazenda Baixão, Baixão e Toca do Novilho, localizados no Território de Identidade Piemonte Norte do Itapicuru na porção Centro - Oeste da Bahia, em domínio de Caatinga. Para tanto coletou-se fósseis de mamíferos pleistocênicos para análises isotópicas (d13C) para inferir sobre a dieta destes animais; identificou-se e avaliou-se as assinaturas tafonômica nas acumulações fossilíferas estudadas, e avaliou-se os osteodermos de duas espécies de Cingulatas. Tem-se como resultados preliminares para as quatro coleções estudadas a identificação de 463 fósseis, em um total de quinze (15) espécies, a saber: Eremotherium laurillardi; Nothrotherium maquinense; Glyptotherium sp.; Panochthus sp.; Homelsina paulacoutoi; Pachyarmatherium sp.; Glossotherium sp.; Toxodon platensis; Smilodon populator ; Panthera onca; Palaeolama major; Antifer sp.; Notiomastodon platensis; Equus (Amerhippus) neogeus; Xenorhinotherium bahiense. No que diz respeito as assinaturas tafonômicas, no sítio Lajedo II os fósseis podem ser agrupados nos estágios de intemperismo I (23%), II (45%) e III (32%) de Behrensmeyer. A coleção Baixão apresentou os estágios I (61%), II (33%) e III (6%) e Fazenda Baixão os estágios I (93%), II (6%) e III (1%). Já o sítio Toca do Novilho apresentou dois estágios de intemperismo: I (86%) e o II (14%). Quanto à representatividade óssea, os elementos presentes identificados até o momento em maior abundância na tafocenose são os molariformes 54,43% (N= 252) e os osteodermos com 22,68% (N=105). Para a representatividade faunística, Eremotherium laurillardi é a espécie mais abundante nos sítios Lajedo II e Fazenda Baixão. Em Lajedo II tem-se um total de 62% dos fragmentos ósseos encontrados para esta espécie, seguida de Notiomastodon platensis com 26%. Já nas coleções Baixão e Fazenda Baixão, os fósseis de Eremotherium laurillardi correspondem a 63% e 45,3% respectivamente, seguido de Toxodon platensis com 11,4% e 12,4% respectivamente. Já no Sítio Toca do Novilho, Panochthus sp. aparece como a espécie mais abundante com 42,9%, seguida de Holmesina paulacoutoi com 17,1% dos fósseis identificados. Para inferir sobre a sistemática dos Cingulatas, até o momento em Lajedo II não foram encontrados osteodermos pertencentes à Glyptotherium, apenas a Panochthus sp., o que poderia sugerir ser pertencente a Panochthus greslebini. No Sitío Baixão e Fazenda Baixão foram identificados para Glyptotherium 17 osteodermos no total, e dois osteodermos identificados para Panochthus sp, não sendo possível ainda reconhecer características anatômicas que permitissem uma melhor diferenciação das espécies. No sítio Toca do Novilho nove osteodermos poderiam ser atribuídos a Panochthus jaguaribensis e 35 a Panochthus greslebini, identificou-se ainda três osteodermos como sendo de Glyptotherium sp. e 16 ainda precisam ser identificados, contudo a maior parte deles, apresentam características de Panochthus e a sua grande maioria estaria localizado no tubo caudal.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 388007 - ADAUTO DE SOUZA RIBEIRO
Interno - 1819383 - ADRIANA BOCCHIGLIERI
Interno - 959.747.845-53 - RAONE BELTRÃO MENDES
Externo ao Programa - 8426696 - EDILMA DE JESUS ANDRADE

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9