UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 24 de Junho de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: LARISSA DE ALMEIDA SOARES
22/01/2020 16:45


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LARISSA DE ALMEIDA SOARES
DATA: 31/01/2020
HORA: 10:00
LOCAL: Sala de Aula do Laboratório de Flavor e Análises Cromatográficas
TÍTULO: Avaliação Preditiva do Crescimento In Vitro de Bactérias Patogênicas em Meio de Cultivo Contendo Extrato de Cascas e Sementes de Tamarindo
PALAVRAS-CHAVES: Microbiologia preditiva, bactérias patogênicas, antimicrobiano, tamarindo
PÁGINAS: 55
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
RESUMO:

A microbiologia preditiva tem sido aplicada, através de modelos matemáticos, com o intuito de prever o comportamento de microrganismos quando expostos à condições de crescimento variadas. Esta ciência tem ganhado destaque visto que permite prever taxas de crescimento e duração da fase lag de microrganismos patogênicos contaminantes de alimentos. Neste contexto, este trabalho objetivou avaliar o efeito da temperatura (10 a 45°C), pH (5,0 a 9,0), concentração de cloreto de sódio (0 a 8,5%) e concentração de extrato de casca e de semente de tamarindo em etanol 80% (0 a 10%) no crescimento in vitro de Bacillus subtilis, Pseudomonas aeruginosa, Staphylococcus aureus, Salmonella enteritidis e Enterococcus faecalis. Os parâmetros foram avaliados segundo planejamento fatorial fracionado 24-1 mais 3 pontos centrais. As bactérias foram incubadas nas condições propostas e o modelo primário de Baranyi e Roberts foi ajustado aos dados experimentais (coeficientes de correlação entre 0,71 e 0,99) obtendo-se as taxas de crescimento e o tempo da fase lag. Em geral, houve a inibição do crescimento para todas as bactérias obtendo-se taxas que variaram entre 5,9 e 10,8 Log UFC/mL h. As maiores taxas de inibição foram obtidas para a maioria das bactérias quando utilizado temperatura de 45°C, pH 9,0, 8,5% de NaCl e 10% de extrato de casca de tamarindo. Para a maioria das condições experimentais não houve fase lag. Através das análises do gráfico de pareto verificou-se que quando usado o extrato de casca de tamarindo no meio de cultivo, a temperatura foi o parâmetro que mais influenciou a inibição de P. aeruginosa, S. aureus e S. enteritidis, o extrato de casca de tamarindo para o B. subtillis e pH para E. faecalis. No entanto quando usado o extrato de sementes de tamarindo, a temperatura foi o parâmetro que mais influenciou a inibição das bactérias. Neste estudo realizou-se a predição do crescimento in vitro de bactérias patogênicos em meio de cultivo contendo extrato de resíduo de tamarindo, tendo este demonstrado potencial para ser utilizado como antimicrobiano natural.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2455650 - GABRIEL ISAIAS LEE TUÑON
Presidente - 2505573 - LUCIANA CRISTINA LINS DE AQUINO SANTANA
Interno - 1786979 - MARIA APARECIDA AZEVEDO PEREIRA DA SILVA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9