UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 26 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: INGRID DE MATOS MARTINS
21/01/2020 09:53


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: INGRID DE MATOS MARTINS
DATA: 14/02/2020
HORA: 14:30
LOCAL: Sala 47 do Bloco Departamental do CCSA2- Sala 47- PROPADM
TÍTULO: ANÁLISE DOS ELEMENTOS DO ECOSSISTEMA EMPREENDEDOR DE SERGIPE: POSSIBILIDADES E PERSPECTIVAS
PALAVRAS-CHAVES: Ambiente empresarial. Ecossistema Empreendedor. Sergipe. Startups.
PÁGINAS: 159
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Administração
RESUMO:

Com o objetivo de criar um ambiente favorável ao empreendedorismo e incentivar a inovação em um dado território, os ecossistemas empreendedores têm surgido como ambientes propícios para a criação de novas empresas,principalmente startups, dando espaço para novos negócios e integrandodiversos atores em relações cooperativas e flexíveis. Estes atores podem seruniversidades, mentores, organizações de apoio ao empreendedorismo,aceleradoras, incubadoras, parques tecnológicos, investidores, dentre outros. Os ecossistemas empreendedores são entendidos como o conjunto de atoresinterconectados que se unem com o objetivo de mediar e gerir o desempenhodentro do ambiente empresarial local. Entretanto, existe um conjunto deelementos necessários para que os ecossistemas empreendedores obtenhamsucesso, sendo eles agrupados em três tipos: elementos culturais, elementossociais e elementos materiais. Nos últimos dois anos, diversos esforços têmsido realizados por um conjunto de atores para o desenvolvimento doecossistema empreendedor no estado de Sergipe, Brasil. No entanto, para quehaja um entendimento sobre a estrutura do sistema, é necessária uma análisedo cenário atual do estado quanto ao empreendedorismo. Em conformidadecom o exposto, a presente pesquisa tem como objetivo analisar o EcossistemaEmpreendedor de Sergipe, de acordo com a presença ou ausência dos elementos críticos de sucesso indicados na literatura, a fim de identificaroportunidades e desafios sob a ótica dos atores mapeados no atual ecossistema empreendedor do estado. Quanto aos procedimentos metodológicos, a pesquisa é de natureza qualitativa, do tipo exploratório edescritivo. A estratégia usada é o método de estudo de caso único incorporado.Para a coleta de dados foram utilizadas como fontes de evidência aobservação direta de eventos relacionados à temática; a análise dedocumentos, permitindo a identificação dos atores presentes no ecossistema; eentrevistas semiestruturadas. Assim, foram aplicados dois tipos diferentes deroteiros de entrevistas semiestruturados, totalizando 15 entrevistas (5 com osgestores de startups e 10 com atores), selecionados a partir da técnica deamostragem snowball sampling (bola de neve). Para o tratamento e análise dos
dados, a técnica adotada foi análise de conteúdo, com o auxílio do softwareNVivo 12 Pro®. A partir da análise das entrevistas, foi possível perceber que: i)os elementos Histórias de sucesso e Atitudes culturais (elementos culturais)foram avaliados negativamente, devido à falta de divulgação dos casos desucesso sergipanos e à tímida cultura orientada para o empreendedorismo; ii) oelemento mais bem avaliado foi Capital Financeiro, sendo considerada acaptação de recursos como uma atividade relativamente fácil; iii) o elementoUniversidades foi avaliado positivamente, enquanto o Capital Humano não teveuma boa avaliação, porque as ações empreendedoras nas universidades aindaestão na fase inicial, mas objetivam que no futuro próximo o elemento CapitalHumano (mão-de-obra treinada para o empreendedorismo) tenha umaavaliação positiva; iv) os elementos Liderança e Redes foram avaliados demaneira diferente entre os pesquisados – startups e atores – devido àdesativação da Rede Caju Valley. Além disso, os outros elementos – Ambienteregulatório, Infraestrutura de apoio e facilitadores, Mercados foram avaliadosnegativamente. Portanto, conclui-se que o Ecossistema Empreendedor deSergipe está em estágio inicial (Nascimento ou Embrionário), pois a maior partedos elementos foi avaliada negativamente. Entretanto, destaca-se que asações que apoiam o desenvolvimento do referido ecossistema são recentes eos atores têm perspectivas otimistas em relação à evolução positiva do ecossistema.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1519365 - MARCO ANTONIO JORGE
Interno - 1224228 - MARIA CONCEICAO MELO SILVA LUFT
Presidente - 1662887 - MARIA ELENA LEON OLAVE

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5