UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: BRENDA CARLA LIMA ARAÚJO
04/12/2019 08:13


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: BRENDA CARLA LIMA ARAÚJO
DATA: 20/12/2019
HORA: 08:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU
TÍTULO: Aspectos fonoaudiológicos e eletromiográficos associados a patência nasal em crianças e adolescentes com asma e rinite.
PALAVRAS-CHAVES: Asma; Rinite; Sistema Estomatognático; Respiração oral; Obstrução nasal; Revisão Sistemática; Metanálise.
PÁGINAS: 125
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fonoaudiologia
RESUMO:

Introdução: A asma e a rinite são consideradas “doença única das vias aéreas” pois compartilham características epidemiológicas, fisiopatológicas e clínicas. Alguns estudos demonstram que a interação entre asma e rinite alérgica pode promover alterações e desequilíbrios anatômicos e funcionais no sistema estomatognático, devido à presença de obstrução nasal, que pode modificar o modo respiratório de nasal para oral. Objetivos: I - avaliar a associação entre alterações miofuncionais orofaciais e achados eletromiográficos com a patência nasal; realizar revisões sistemáticas para avaliar o nível de evidência disponível em relação: II – a associação entre respiração oral e asma; III - a eficácia do tratamento fonoaudiológico na melhora de parâmetros clínicos em pacientes com rinite e asma. Métodos: Para o objetivo I – foi conduzido um estudo observacional composto por 43 crianças e adolescentes com asma e/ou rinite, com idades entre 05 e 14 anos, selecionadas por conveniência no Ambulatório de Alergia (EBSERH/UFS) no período de maio de 2017 a setembro de 2019. O exame de eletromiografia de superfície foi realizado no Laboratório de Patologia Investigativa (LPI), no HU. As crianças e adolescentes foram submetidas à medida de Pico de Fluxo Nasal Inspiratório (PFIN) para avaliação da patência nasal, teste de controle da asma (c-ACT), avaliação de controle da rinite (RCAT) e avaliação miofuncional orofacial através do instrumento AMIOFE. A relação entre as alterações miofuncionais orofaciais e o PFIN foi analisada através de modelo de regressão logística. As estimativas foram relatadas com Odds Ratio e intervalo de confiança de 95%. Avaliamos a multicolinearidade usando o Fator de Inflação de Variância (VIF) e analisamos a adequação do ajuste com os critérios de informação de Akaike (AIC) e R2 de McFadden. Os padrões de atividade eletromiográfica de acordo com a patência nasal foram comparados através do teste de Mann-Whitney. As análises foram realizadas com o software estatístico JASP. As revisões sistemáticas foram feitas: II - para avaliar a relação entre respiração oral e asma através de estudos observacionais, seguindo as orientações do MOOSE -- Meta-Analysis of Observational Studies in Epidemiology Statement. O odds ratio (OR) foi utilizado como medida da associação entre respiração bucal e asma. O risco de viés foi avaliado usando a escala de Newcastle-Ottawa para estudos de caso-controle e a ferramenta do National Institutes of Health (NIH) para estudos transversais. III - para avaliar tratamento fonoaudiológico através de ensaios clínicos, seguindo as diretrizes do PRISMA. O risco de viés foi avaliado de acordo com as diretrizes da Cochrane para ensaios clínicos. Resultados: Objetivo I: Na análise de regressão multivariada a postura inadequada da mandíbula (OR=11.22; IC 95% 1.83-69; p=0.009) e a presença de tensão na musculatura facial durante à deglutição de líquido (OR=4.61; IC 95% 1.31-16.20; p=0.017) estavam associadas ao PFIN alterado em crianças e adolescentes com asma e rinite. A patência nasal não apresentou associação significativa com a atividade eletromiográfica do músculo masseter, porém para a contração máxima foi observada que a ação do masseter direito se comportou com menores potenciais eletromiográficos quando o PFIN esteve inadequado (p=0.06). Objetivo II: Nove estudos foram incluídos e dados de 12.147 sujeitos foram avaliados, dos quais 2.083 eram crianças e adolescentes e 10.064 adultos A revisão sistemática com meta-análise encontrou associação entre asma e respiração oral (OR 2,75, IC 95% 1,94–3,91; p<0.00001), crianças e adolescentes (OR 2,46, IC 95% 1,78–3,39; p<0.00001) e adultos (OR 4,60, IC 95% 1,49–14,20; p=0.008). Os estudos apresentaram baixo risco de viés. Na revisão sistemática de ensaios clínicos, somente um estudo foi elegível e demonstrou melhora no controle funcional e nos escores clínicos na asma, porém com evidência de baixa qualidade (Objetivo III). Conclusão: Crianças e adolescentes portadores de asma e rinite com patência nasal reduzida apresentaram alterações fonoaudiológicas, como a postura inadequada da mandíbula e a presença de tensão na musculatura facial durante a deglutição de líquido. A revisão sistemática com meta-análise sugere uma associação entre respiração oral e asma em crianças, adolescentes e adultos. Não existem evidências científicas que comprovem a melhora de parâmetros clínicos através de intervenções fonoaudiológicas para pacientes com asma. Estudos são necessários para avaliar o uso da terapia miofuncional como tratamento adjuvante.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 285930 - AMELIA MARIA RIBEIRO DE JESUS
Externo ao Programa - 1982967 - GERLANE KARLA BEZERRA OLIVEIRA NASCIMENTO
Externo ao Programa - 1693695 - SUSANA DE CARVALHO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5