UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: LORRANNY SANTANA RODRIGUES
03/12/2019 08:23


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LORRANNY SANTANA RODRIGUES
DATA: 13/12/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU sala 26
TÍTULO: CARACTERIZAÇÃO IMUNOFENOTÍPICA DE LINFÓCITOS T EM PACIENTES COM LEISHMANIOSE VISCERAL
PALAVRAS-CHAVES: Imunidade Celular; Imunofenotipagem; Leishmaniose Visceral
PÁGINAS: 43
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

A Leishmaniose visceral (LV) é uma doença causada pelo protozoário do gênero Leishmania, que quando não diagnosticada e não tratada precocemente pode levar à morte. Sabe-se que a resposta imune contra Leishmania spp. é predominantemente mediada por linfócitos do perfil Th1. A suscetibilidade ou resistência à doença está diretamente relacionada ao padrão de células T efetoras de CD4+, que expressa diferentes citocinas, como a participação das células Th1 que expressam IFN-γ e TNF-α e IL-2 e possui pró-inflamatórias. Ainda existe a participação de células Th2 com atividade anti-inflamatória e Th17 que expressam IL-17 com uma atuação complementar a células Th1. O presente estudo tem como objetivo analisar as características imunofenotípicas das células T envolvidas na supressão da resposta imune de pacientes com LV antes do tratamento (D0) e a restauração dessa resposta com cura clínica (D7 a D180). Métodos e Resultados. Células mononucleares do sangue periférico (PBMC) de pacientes com LV e controles saudáveis foram cultivados e estimulados in vitro com Antígeno de Leishmania Solúvel (SLA) por 18 horas e marcados com anticorpos monoclonais conjugados com fluorocromo para os marcadores de superfície CD3, CD4, CD8, CCR7 e CD45RA e as citocinas IFN-γ, TNF-α, IL-2. As amostras foram adquiridas no citômetro de fluxo BD FACS Canto II e analisadas no programa Flowjo. Durante o tratamento, podemos observar um aumento gradual das células T CD4 + produtoras de citocinas (TNF-α, IL-2 ou IFN- γ), principalmente em D21 e D30. No final do tratamento (D180), observamos uma diminuição nas células TCD4 + produzindo essas citocinas. Analisando as combinações das citocinas IFN-γ, TNF-α e IL-2, os resultados mostram um aumento percentual de CD3 + / CD4 + / IL-2 + / TNF + / IFN-, CD3 + / CD4 + / IL-2- / TNF + / Células T IFN +, CD3 + / CD4 + / IL-2 + / TNF + / IFN + durante todo o tratamento. Conclusão. Esses dados sugerem que o aumento de células T multifuncionais durante o tratamento está relacionado à melhora clínica dos pacientes. A análise do perfil fenotípico das células T e das citocinas que elas produzem pode indicar que há uma melhoria na eficácia da resposta imune no controle da infecção. A determinação desse perfil poderia ser um instrumento que beneficiaria a abordagem terapêutica de pacientes com LV.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - FABRICIA ALVISI OLIVEIRA DE MENDONCA
Interno - 1977480 - PRISCILA LIMA DOS SANTOS
Externo ao Programa - 1960770 - RICARDO LUÍS LOUZADA DA SILVA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12692-c69972fb69