UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: HIANGA FAYSSA FERNANDES SIQUEIRA
13/11/2019 14:52


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: HIANGA FAYSSA FERNANDES SIQUEIRA
DATA: 29/11/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Sala Rute do Hospital Universitário
TÍTULO: SATISFAÇÃO E QUALIDADE DE VIDA NA RECONSTRUÇÃO MAMÁRIA: AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS IMEDIATOS, TARDIOS E SEM RECONSTRUÇÃO
PALAVRAS-CHAVES: Qualidade de Vida; Mastectomia; Reconstrução da mama.
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

Introdução: O câncer de mama é o tipo mais comum de câncer entre as mulheres no Brasil e no mundo após o de pele não melanoma. A mastectomia é um procedimento essencial para o tratamento do câncer de mama, mas pode causar sequelas físicas e psicológicas. Portanto estudos são importantes para identificar as variáveis relacionadas ao tratamento do câncer de mama que possam melhorar a qualidade de vida. Métodos: Foi realizado um estudo transversal para estudar a qualidade de vida de pacientes tratados com e sem reconstrução. O questionário WHOQOL-Bref foi utilizado para avaliar a qualidade de vida das mulheres operadas entre 2015 e 2018 após pelo menos 1 ano de cirurgia. Variáveis sociodemográficas, comorbidades, satisfação e dados do tratamento foram obtidos. Resultados: Foram incluídas 81 pacientes mastectomizadas no Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe, das quais 53 (65,4%) foram submetidas a reconstrução mamária. Qualidade de vida não foi significativamente melhor no grupo de reconstrução em comparação com o grupo não- reconstrução. No entanto, a satisfação com a mama operada, reconstruída ou não, está positivamente correlacionada com a qualidade de vida (p = 0,004). Não houve diferença estatística entre os resultados da qualidade de vida entre as mulheres com reconstrução imediata ou tardia. Conclusão: Este estudo não evidenciou diferenças significativas entre as pacientes com reconstrução mamária, seja ela imediata ou tardia, em comparação com as pacientes não reconstruídas. Mas quando analisamos a qualidade de vida de mulheres mastectomizadas que estão insatisfeitas com suas mamas não-reconstruídas, observamos que a ausência da reconstrução impactou negativamente na qualidade de vida. Entretanto, mais estudos nesta área são importantes para compreender os efeitos dos diversos fatores que afetam a qualidade de vida das pacientes com câncer de mama e saber quais variáveis causam impacto no bem-estar destas.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2221782 - ENALDO VIEIRA DE MELO
Externo ao Programa - 1643234 - LIGIA MARA DOLCE DE LEMOS
Externo à Instituição - ANEKÉCIA LAURO DA SILVA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5