UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: MARAÍSA BEZERRA DE JESUS FEITOSA
11/09/2019 14:24


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARAÍSA BEZERRA DE JESUS FEITOSA
DATA: 11/10/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Prozootec na UFS
TÍTULO: EFEITO PROTETOR CARDIOVASCULAR DO ÁCIDO FITICO NA HIPERTENSÃO CARDÍACA EM RATOS.
PALAVRAS-CHAVES: Antioxidantes. Hexafosfato de Inositol. Hipertensão. Hipertrofia ventricular esquerda. MMPs. Metaloproteinases.
PÁGINAS: 87
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A hipertensão é um problema de saúde pública, associada à elevada morbidade emortalidade, pois gera complicações cardiovasculares graves. No estudo fisiopatológicoda hipertensão arterial (HA) primária humana têm sido utilizados modelos experimentaisanálogos dentre os quais destaca-se a linhagem geneticamente hipertensa de Kyoto(SHR). Nestes animais há um envolvimento etiopatogênico multifatorial, cuja disfunçãoendotelial é o mecanismo central. Sabendo-se que o NO tem efeito protetor na HA e queo aumento da produção de EROs podem reduzir sua disponibilidade, agentesantioxidantes têm sido utilizados para o controle desta patologia. O uso de plantasmedicinais e seus compostos bioativos têm contribuído de forma significativa nodesenvolvimento de fármacos para o tratamento de doenças cardiovasculares. Umbioativo encontrado em plantas é o inositol e suas formas fosforiladas, como o ácido fítico(AF), que possui atividade antioxidante e cardiovascular. Logo, o presente trabalho tevecomo objetivo geral investigar o efeito do tratamento com ácido fítico na funçãocardiovascular de animais espontaneamente hipertensos. Foram utilizados ratos Wistar(CTR) e SHR machos (SHR Veículo), tratados com ácido fítico livre (SHR AF/Livre) eincluído em lipossoma (SHR AF/Lipo), com 16 – 18 semanas de idade, pesando entre300 e 450g. No eletrocardiograma realizado in vivo, a cada 7 dias após o início dotratamento, foi observada a redução significativa na frequência cardíaca (FC) em relaçãoao grupo controle. Foi avaliado a pressão interna do ventrículo esquerdo (PVDE) emcoração isolado de animais no sistema de perfusão do tipo Langendorff. O AF reduziu apressão em comparação ao grupo controle. A massa do coração foi mensurada enormalizada pela massa corporal de cada animal ao final do estudo. Houve redução damassa cardíaca dos animais tratados com AF em relação ao grupo controle. A expressãode MMP–2 e - 9 nos ventrículos (VE) foi avaliada por Western blot. Houve diminuiçãoda MMP-2 apenas no grupo tratado com o lipossoma e diminuição da MMP-9 em ambostratamentos quando comparado ao grupo controle. Em anéis isolados da artériamesentérica superior, curvas de contração com fenilefrina (Phe), de relaxamento paraacetilcolina (ACh) e nitroprussiado de sódio (NPS) foram construídas. Também foiverificado a participação da produção do óxido nítrico (com L-NAME) e da prostaciclina(indometacina) na vasodilatação. Em anéis de mesentérica com endotélio, os tratamentospotencializaram a resposta à Phe, mas na ausência do endotélio não houve diferença nessaresposta. No grupo SHR AF/Lipo o relaxamento induzido por ACh foi potencializado emcomparação com SHR AF/Livre e SHR Veículo. Na curva de relaxamento induzida porNPS, não houve diferença entre os grupos. Nos VE foram quantificados substanciasreativas ao TBARS e grupamento sulfidril (-SH), além da atividade enzimática dasuperóxido dismutase (SOD), catalase (CAT) e as glutationas peroxidase (GPx) eredutase (GR). Houve redução significativa da peroxidação lipídica ambos grupostratados com AF em relação ao grupo controle. Os grupamentos -SH aumentaram apenasno grupo tratado com lipossoma em relação ao controle. Na aorta, não houve diferençana SOD, porém no tecido cardíaco ambos tratamentos aumentaram este marcador quandocomparado ao grupo controle. Em aorta, o tratamento do grupo SHR AF/Lipo aumentoua atividade da CAT, enquanto que em coração ambas as formas de AF aumentaram estemarcador quando comparados ao grupo controle. A GPx cardíaca houve um aumento em relação ao grupo controle apenas ao tratamento com o AF incluído em lipossoma. Ambosos tratamentos foram capazes de aumentar a atividade da GR quando comparada ao grupocontrole. Desta forma, podemos afirmar que os tratamentos com AF diminui a FC e aPDVE, e podem modular a expressão de MMPs em animais espontaneamentehipertensos, além disto, promove relaxamento dependente do endotélio para ACh emartéria mesentérica de ratos, um efeito dependente de NO que é potencializado nainclusão. Sobre o status redox, o ácido fítico promove redução da peroxidação lipídica,melhorando a atividade de enzimas antioxidantes, sendo que, a inclusão em lipossomaaumentou a atividade enzimática da CAT em aorta e, GPx e GR cardíaca quandocomparado com a forma livre. Em conjunto, nossos dados sugerem que o tratamento comAF protege o coração dos danos cardiovasculares promovidos pela hipertensão.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CAROLINA ROSA GIODA
Interno - 1698148 - ENILTON APARECIDO CAMARGO
Externo à Instituição - GIULIANNA DA ROCHA BORGES
Interno - 2190308 - MARCIO ROBERTO VIANA DOS SANTOS
Presidente - 1694364 - SANDRA LAUTON SANTOS

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12692-c69972fb69