UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 20 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: ANDRÉ LUIZ LIMA MENEZES DOS SANTOS
15/08/2019 16:07


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANDRÉ LUIZ LIMA MENEZES DOS SANTOS
DATA: 19/08/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de Vídeo Conferencia da Renorbio
TÍTULO: Formulação um protótipo de um fitoterápico com atividade antimicrobiana e antiproliferativa a base de extratos de casca e entrecasca de Myracondruon urundeuva (Allemão)
PALAVRAS-CHAVES: Myracondruon urundeuva (Allemão), casca, microemulsões, atividade citotóxica, atividade antimicrobiana, microemulsões, atividade anti-proliferativa.
PÁGINAS: 72
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Microbiologia
RESUMO:

A caatinga consiste em um cenário ideal para estudos etnobotânicos, uma vez que compreende umafascinante diversidade biológica e cultural. Estes estudos são extremamente necessários na busca de novas formulações para acura de alguns males como o câncer e o surgimento das cepas bacterianas multiresisitentes. Outra preocupação que se faznecessária é avaliar a segurança e viabilidade destas novas formulações para garantir que elas não sejam tóxicas ao usuário, sóassim elas podem entrar para as fileiras dos agentes terapêuticos. Dentre as plantas da Caatinga destaca-se a aroeira do sertão(Myracrodruon urundeuva), pois apresenta uma larga história na medicina popular além de variados estudos científicos Emvirtude disto este estudo teve como objetivo avaliar a atividade antimicrobiana, citotóxica e antitumoral dos extratos deentrecascas de Myracondruon urundeuva Allemão e microemulsões derivadas destes extratos. O extrato aquoso (250 mg/mL)apresentou atividade antimicrobiana para as bactérias Staphylococcus aureus, Pneumonas aureginosa, derivada, Enterobacteraerogenes, Escherichia Coli. A microemulsão do extrato aquoso atividade antifúngica contra Cryptococcus sp e Candidaalbicans Esta atividade pode ser explicado pelo ácido gálico, elágico e seus derivados que foram detectados pelas técnicas decromatografia e espectrometria de massa (HPLC e UPLC-ESI-MS) O teste de viabilidade celular por MTT (brometo de 3-(4,5-dimetiltiazol-2-il) -2,5-difeniltetrazólio) demonstrou que os extratos hidroalcoolica (250 µg/mL) e aquoso (125 µg/mL)podem ser considerados citotóxicos para os fibroblastos 3T3, por apresentarem viabilidade celular maior que 25% . O teste dehemólise demonstrou que as micromeulsões dos extratos aquoso e alcoólico na concentração de 5000µg/mL mataram 75 e100% das células respectivamente Pelo teste Alamar blue nenhum dos extratos e microemulsões apresentou valores de IC 50 <30 µg/mL para as seguintes linhagens: HCT116 (carcinoma de colón humano), HepG2 (carcinoma hepatocelular humano),HL-60 (leucemia humana) e MRC-5 (fibroblasto de pulmão humano) o que significa que a amostra não apresenta atividadeantitumoral. Apesar da citotoxicidade os produtos não apresentaram atividade antitumoral, pois os extratos e emulsões atuamem ciclos diferentes da cadei respiratória. Apesar dos interessantes resultados contra bactérias, deve se tentar diminuir atoxicidade celular para torna-lo um novo fármaco.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1199629 - CARLA MARIA LINS DE VASCONCELOS
Presidente - 2335200 - CHARLES DOS SANTOS ESTEVAM
Interno - 426680 - GABRIEL FRANCISCO DA SILVA
Externo à Instituição - HENRIQUE FONSECA GOULART
Interno - 1687696 - WALDECY DE LUCCA JUNIOR

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307