UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 31 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: MANUELLA DE OLIVEIRA FERNANDES
15/08/2019 11:15


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MANUELLA DE OLIVEIRA FERNANDES
DATA: 30/08/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU
TÍTULO: MORTALIDADE POR ASMA NO ESTADO DE SERGIPE, UMA TENDÊNCIA SECULAR DE 35 ANOS.
PALAVRAS-CHAVES: Asma, Registros de Mortalidade, Crianças, Adultos, Idosos, Regiões de Saúde, Sergipe.
PÁGINAS: 73
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

Introdução: Asma é uma doença que pode ser reversível através de tratamento ou de forma espontânea, porem continua sendo pouco controlada, devido a inadequada prescrição como também ao uso errôneo de medicamentos. O Brasil ocupa o terceiro lugar no ranking das hospitalizações por doenças clínicas e o quarto em mortes por doenças respiratórias. Com relação a mortalidade, no Brasil não existem dados nacionais confiáveis sobre tendências de mortalidade por asma, já que registros de óbitos são incompletos e não são realizados em todos os Estados. Objetivo: fornecer dados sobre a tendência de mortalidade no Estado de Sergipe nos anos de 1980 até 2015. Métodos: Os dados foram obtidos através da coleta nos bancos de dados do Sistema de Informação de Mortalidade do Estado de Sergipe. A análise das taxas específicas por idade foi realizada através do agrupamento dos dados nas seguintes faixas etárias: 0 a 19, 20 a 44, 45 a 64 e 65 anos de idade em diante. Para analisar as tendências de mortalidade foi utilizando o Programa de Regressão Joinpoint versão 4.5.0.1, baseado no cálculo da variação percentual anual (APC) e seus respectivos intervalos de confiança de 95% (IC95%), como também o SPSS Statistics versão 22. Resultados: Foi totalizado 1.292 mortes por asma, apresentando um pico em 2007 do sexo feminino enquanto o masculino foi em 2011. O maior coeficiente de mortalidade foi verificado em idades superiores a 65 anos em ambos os gêneros, representando 51% do total. Outra faixa etária que apresentou uma crescente tendência de mortalidade foi o grupo de 45 – 64 anos em ambos os sexos. Ao analisar as regiões de saúde, na região de Aracaju pôde verificar uma alta taxa de mortalidade, porem foi a única região que não apresentou tendência a mortalidade, ao contrário da Região de Lagarto. Conclusão: a mortalidade infantil e juvenil apresentou uma redução significante, por outro lado, a mortalidade senil obteve um crescimento constante em ambos os sexos. Com relação as regiões de saúde, a região de saúde de Aracaju apresentou uma redução na tendência na mortalidade.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 426722 - ANGELA MARIA DA SILVA
Externo à Instituição - FABRICIO DIAS ANTUNES
Externo ao Programa - 3374138 - MARCO ANTONIO VALADARES OLIVEIRA
Presidente - 426691 - MARIA LUIZA DORIA ALMEIDA
Interno - 1496951 - SILVIA DE MAGALHAES SIMOES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12838-31cfbbda77