UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 30 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: VERENA CARDOSO CRUZ
07/08/2019 13:34


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VERENA CARDOSO CRUZ
DATA: 23/08/2019
HORA: 14:00
LOCAL: sala rute do HU
TÍTULO: SÍFILIS CONGÊNITA: ANÁLISE ESPACIAL E ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS DAS MÃES
PALAVRAS-CHAVES: Sífilis. Sífilis congênita. Análise espacial. Distribuição espacial.
PÁGINAS: 54
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
SUBÁREA: Enfermagem de Doenças Contagiosas
RESUMO:

Introdução: A sífilis é uma infecção sexualmente transmissível, que também pode ser transmitida por via parenteral ou transplacentária.. Como consequência da sífilis em gestantes, o número de casos de sífilis congênita tem aumentado, principalmente nas regiões norte e nordeste do Brasil. Objetivo: Analisar a distribuição espacial e características epidemiológicas da sífilis em gestante e sífilis congênita no estado de Sergipe entre os anos de 2007 a 2017; Identificar áreas urbanas de maior vulnerabilidade social para a ocorrência da infecção entre gestantes. Métodos: Este estudo possui dois desenhos metodológicos; para a distribuição espacial e identificação das áreas de maior vulnerabilidade à sífilis congênita foi utilizado um estudo ecológico, desenvolvido mediante a utilização de técnicas de análise espacial de dados de área contidos em banco de dados do estado. Para a descrição das características epidemiológicas das mães utilizou-se o estudo descritivo retrospectivo de uma coorte, a partir dos bancos de dados. Resultados: As mães das crianças com sífilis eram jovens com grande proporção de adolescentes, com baixa escolaridade, exerciam atividade remunerada e procedentes da zona urbana. A maioria realizou o pré-natal, porém não foi diagnosticada para sífilis, encontravam-se na fase latente da doença, receberam tratamento inadequado, seus parceiros não foram tratados, contribuindo para a alta incidência de sífilis congênita identificada pelo aumento progressivo ao longo dos 11 anos estudados. As áreas central e sul do estado de Sergipe apresentaram maior incidência e os municípios identificados como prioritários foram Divina Pastora, Siriri e Maruim. Conclusão: Há necessidade de educação permanente para percepção da vulnerabilidade, realização de campanhas para tratar os homens, busca ativa para o pré-natal e triagem efetiva da sífilis na gestante com estabelecimento de tratamento adequado.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1643234 - LIGIA MARA DOLCE DE LEMOS
Interno - 2449971 - LEILA LUIZA CONCEICAO GONCALVES
Externo ao Programa - 2312809 - ANA DORCAS DE MELO INAGAKI
Externo à Instituição - VÍCTOR SANTANA SANTOS

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12838-31cfbbda77