UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANA JOVINA BARRETO BISPO
18/07/2019 09:00


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA JOVINA BARRETO BISPO
DATA: 06/08/2019
HORA: 08:00
LOCAL: SALA 27 PPGCS- CENTRO DE PESQUISAS BIOMÉDICAS-HU
TÍTULO: ENVOLVIMENTO RESPIRATÓRIO NA LEISHMANIOSE VISCERAL HUMANA: AVALIAÇÃO CLINICA, TOMOGRÁFICA E ESPIROMÉTRICA
PALAVRAS-CHAVES: Leishmaniose Visceral. Doença Pulmonar, Intersticial.
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

A leishmaniose visceral (LV) é uma parasitose grave, mundialmente distribuída e potencialmente letal. A forma clássica da doença apresenta-se com febre, esplenomegalia, hepatomegalia e palidez. Por ser uma doença sistêmica, qualquer órgão pode estar acometido nessa parasitose e sintomas diversos podem estar presentes. A patogêneses dos sintomas clássicos já foi amplamente descrita, no entanto, ainda existem lacunas relacionadas a outros sintomas frequentes, como a tosse. Em décadas passadas, Duarte Matta e Corbett encontraram pneumonite intersticial em autopsias de pacientes que tiveram a LV como causa de óbito e, posteriormente, Costa e Cerri descreveram achados tomográficos em alguns pacientes acometidos por essa parasitose. A presente pesquisa, de natureza observacional e delineamento transversal, objetivou trazer conhecimentos mais recentes sobre envolvimento respiratório na LV ao caracterizar o comprometimento pulmonar através da avaliação clínica, radiográfica, tomográfica e funcional em portadores dessa parasitose e assim auxiliar no reconhecimento precoce de complicações e, consequentemente, na redução da mortalidade. Participaram do estudo 42 pacientes internados no Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe, no período de janeiro de 2015 a julho de 2018. Houve predomínio do sexo masculino (66%), a média de idade encontrada foi de 19,5 anos, grande parte dos pacientes foi procedente do interior do Estado (60%) e diagnóstico nutricional predominante foi de eutrofia. Sintomas respiratórios estiveram presentes em 49,7% dos pacientes. A radiografia simples de tórax alterada ocorreu em cinco (12%), enquanto que a tomografia computadorizada de alta resolução de tórax foi considerada alterada em mais da metade dos pacientes. Achados tomográficos sugestivos de comprometimento intersticial pulmonar foram os mais frequentes. O tempo decorrido entre o início dos sintomas e o internamento foi maior em pacientes com TCAR alterada. A espirometria mostrou 40% de frequência de alterações funcionais. O distúrbio ventilatório predominante foi o restritivo (21,7%), seguido do distúrbio inespecífico (13%) e do distúrbio obstrutivo (13%). A frequência de sintomas respiratórios, alterações tomográficas e espirométricas evidencia comprometimento pulmonar na LV. A predominância do distúrbio ventilatório restritivo pode estar relacionada com a principal alteração pulmonar encontrada, a doença pulmonar intersticial.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 426722 - ANGELA MARIA DA SILVA
Externo à Instituição - JOSE BARRETO NETO
Interno - 285906 - ROQUE PACHECO DE ALMEIDA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5