UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MONIQUE TAVARES DE JESUS
28/06/2019 10:45


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MONIQUE TAVARES DE JESUS
DATA: 12/07/2019
HORA: 14:30
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU
TÍTULO: Associação da qualidade de vida e fatores de risco com a apresentação do Infarto Agudo do Miocárdio.
PALAVRAS-CHAVES: Síndrome Coronariana Aguda. Infarto Agudo do Miocárdio. Qualidade de vida. Fatores de risco.
PÁGINAS: 62
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Nutrição
RESUMO:

O cenário epidemiológico mundial revela um crescimento das doenças cardiovasculares, sendo uma das principais causas de mortes e incapacidades físicas. Dentre estas destaca-se a síndrome coronariana aguda (SCA), a qual abrange um grupo de doenças, que incluem o infarto agudo do miocárdio com supradesnivelamento do segmento ST (IAMCSST) e sem supradesnivelamento (IAMSSST). Evidências científicas mostram que a adesão a um estilo de vida saudável associado ao controle dos fatores de risco modificáveis contribui para redução no desenvolvimento da SCA. O objetivo do presente estudo foi avaliar a interferência da qualidade de vida e os fatores de risco cardiovascular na apresentação do Infarto Agudo do Miocárdio (IAM). Trata-se de um estudo do tipo observacional e transversal, realizado no período de Outubro de 2013 a Setembro de 2015, em unidades hospitalares de referência em cardiologia na cidade de Aracaju/SE. Foram considerados os pacientes com quadro de IAMCSST e IAMSSST. As variáveis analisadas foram: Socioeconômicas, clínicas, eventos intra-hospitalares, fatores de risco (FR) cardiovascular, antropometria; atividade física através do Questionário Internacional de Atividade Física Versão Curta – IPAQ e qualidade de vida (QV) por meio da Versão Brasileira do Questionário Medical Outcomes Study 36- Item Short-Form Health Survey (SF-36). Foram elegíveis 480 pacientes, destes 55,62% apresentaram IAM com supra e 44,38% IAM sem supra. Observamos que os indivíduos atendidos pelo serviço público possuem uma chance 8,56 vezes maior de terem IAMCSSP em comparação com aqueles atendidos pelo serviço privado. Dentre os FR, os que apresentaram relação significativa e maior razão de possibilidade para desenvolver IAMCSST foi o tabagismo (p<0,028), já o DM, HAS, dislipidemia, obesidade/sobrepeso e o sedentarismo não apresentou relação significativa com o tipo do infarto. O uso do tabaco também apresentou uma diferença significativa e uma razão de chance 2,75 vezes nos pacientes do setor público. No tocante a QV, apenas os domínios aspectos físicos e dor apresentaram média abaixo de 50. No que concerne a QV e o tipo de IAM, observa-se que em nenhum caso o p-valor foi menor que 0,05, desta forma, não podemos afirmar que existem diferenças significativas entre IAMCSSP e IAMSSSP. Comparando o serviço público versus o privado, os únicos domínios que apresentaram diferença significativa foram os aspectos emocionais que se destacaram no privado e o aspecto mental com maior representatividade na assistência pública. No que tange a evolução intra-hospitalares, o único domínio que não apresentou associação com algum tipo de evento foi a saúde, o domínio social foi o que mais se relacionou com eventos intra-hospitalares de alto risco. Portanto, estes achados contribuem para criação de estratégias que evitem tanto o surgimento do IAM, como a redução da mortalidade por SCA.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1632071 - DANIELLE GOES DA SILVA
Interno - 2380197 - JOSELINA LUZIA MENEZES OLIVEIRA
Interno - 1695058 - MARCO ANTONIO PRADO NUNES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307