UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 29 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MÁRCIA LUCIANA CARREGOSA SANTANA
19/06/2019 16:13


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MÁRCIA LUCIANA CARREGOSA SANTANA
DATA: 03/07/2019
HORA: 10:00
LOCAL: Sala 27 do Programa de Ciências da Saúde/HU/UFS
TÍTULO: RESISTÊNCIA À FRATURA DE RESTAURAÇÕES DE COMPÓSITO EM DENTES EXTENSIVAMENTE DESTRUÍDOS APÓS REMOÇÃO SELETIVA DE TECIDO CARIADO
PALAVRAS-CHAVES: Cárie dental, remoção de cárie, resistência à fratura.
PÁGINAS: 35
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
SUBÁREA: Clínica Odontológica
RESUMO:

A remoção seletiva de tecido cariado tem sido recomendada para evitar danos pulpares, mas o efeito dessa abordagem sobre o comportamento biomecânico da restauração em dentes extensivamente destruídos ainda permanece incerto. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito do tecido cariado seletivo na resistência à fratura e modo de falha de restaurações de compósito em molares, apresentando apenas as cúspides vestibulares. Cavidades profundas foram preparadas com dentina remanescente de 1 mm sobre a polpa e removendo as cúspides linguais. Lesões cariosas foram induzidas artificialmente no centro do assoalho pulpar com ácido acético (pH = 4,5). A dentina desmineralizada foi deixada intacta ou foi completamente removida antes da restauração com um compósito Bulk-Fill (n = 10). Imagens das amostras foram obtidas por tomografia de coerência óptica (OCT) antes e após a indução / remoção da cárie. A resistência à fratura por compressão axial e modo de falha foram determinados. A interface entre o assoalho pulpar e o fundo do compósito de amostras fraturadas foi analisada por OCT. Os dados foram submetidos ao teste T (α = 0,05). Cavidades mais profundas e maior ocorrência de exposição pulpar foram observadas para remoção não seletiva do tecido cariado. O protocolo de remoção de tecidos cariados não afetou a força da fratura (p = 0,554). Observou-se uma tendência crescente de mais falhas envolvendo as raízes para remoção não seletiva de tecido cariado. Em conclusão, a remoção seletiva da caridade parece ser uma abordagem viável para dentes extensivamente destruídos, uma vez que a força de fratura da restauração não foi comprometida.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALINE CARVALHO PEIXOTO
Externo ao Programa - 2408150 - LILIAN FERNANDA SANTOS PAIVA
Presidente - 2361893 - LUIZ ALVES DE OLIVEIRA NETO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12762-01b8f192c5