UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 19 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: JULIÉVANY DE SOUZA SANTOS
17/05/2019 16:42


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULIÉVANY DE SOUZA SANTOS
DATA: 20/05/2019
HORA: 10:00
LOCAL: Auditorio da POSGRAP
TÍTULO: ANÁLISE SISTÊMICA DO PATENTEAMENTO NAS INDÚSTRIAS QUÍMICAS BRASILEIRAS
PALAVRAS-CHAVES: Propriedade Intelectual; patenteamento; indústria química
PÁGINAS: 71
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

Diante de um mercado globalizado e cada vez mais dinâmico, as empresas precisam buscar formas de diferenciação competitiva, sendo as inovações tecnológicas cruciais para alcançar tal objetivo. Atualmente, as organizações públicas e privadas recorrem aos mecanismos da Propriedade Intelectual (PI) para proteger essas inovações e garantir os seus direitos, sendo as patentes a principal forma de proteção dos produtos e processos gerados, pois, além de conferir ao seu titular um direito exclusivo abrangente sobre o produto ou processo – já que outros são proibidos de produzir, comercializar, importar ou vender a invenção para fins comerciais sem o seu consentimento –, podem possibilitar diversos ganhos econômicos e o retorno sobre os investimentos, principalmente por meio dos royalties. No setor químico brasileiro, onde há o uso intensivo de novas tecnologias que fornecem a base para diversos outros setores industriais, impactando diretamente a economia do país, o uso das patentes como fonte de informação pode auxiliar na gestão estratégica das empresas do segmento, já que as mesmas poderão, por exemplo, avaliar sua competitividade no mercado e descobrir lacunas onde possam existir oportunidades de novos desenvolvimentos, auxiliando na tomada de decisões. Considerando a relevância econômica e social da atividade de patenteamento e da indústria química para o país, o presente estudo realizou uma análise sistêmica do patenteamento na indústria química brasileira, avaliando os pedidos de patentes depositados na base do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) pelas empresas líderes do setor. Os resultados mostraram que há um grande interesse destas empresas no patenteamento, principalmente de produtos, predominando as do tipo patentes de invenção; baixo interesse na proteção de seus produtos e processos em diferentes regiões geográficas através de depósitos via PCT; grande interesse na utilização de fontes externas de conhecimento, principalmente instituições federais de ensino; e um baixo índice de patentes concedidas, mesmo com backlogs individuais inferiores à média nacional.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2468009 - ANTONIO MARTINS DE OLIVEIRA JUNIOR
Interno - 2573323 - ANA KARLA DE SOUZA ABUD
Externo ao Programa - 1632059 - SIMONE DE CASSIA SILVA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16088-62c448d53e