UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 29 de Janeiro de 2023

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de DEFESA: MÁRCIO ROSSELINE DA SILVA FERREIRA
08/05/2019 09:49


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MÁRCIO ROSSELINE DA SILVA FERREIRA
DATA: 27/05/2019
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório do PRODEMA
TÍTULO: Para além da 'pedra e cal': o meio ambiente na preservação do patrimônio cultural brasileiro
PALAVRAS-CHAVES: Cultura. Natureza. Patrimônio. Sustentabilidade.
PÁGINAS: 231
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

O objeto de estudo desta pesquisa científica é o meio ambiente no patrimônio cultural. Mais precisamente, como o campo da preservação patrimonial incorporou o meio ambiente em suas práticas institucionais. O objetivo, portanto, é de descrever e analisar como que historicamente à questão ambiental foi sendo introduzida nas práticas patrimoniais do Brasil. Para isso, a hipótese lançada foi de que o meio ambiente tem sido introduzindo processualmente no campo patrimonial, pois, muitos obstáculos ainda impossibilitam a realização plena entre natureza e cultura como um único patrimônio a ser preservado. Como categorias analíticas, o conceito de cultura e o conceito de natureza, são imprescindíveis na construção teórica do objeto de pesquisa tendo em vista a necessidade de fundamentar os dados coletados empiricamente em sólidas teorias. Assim, os procedimentos metodológicos aplicados para alcançar o principal objetivo da pesquisa, consistiram na consulta a literatura especializada, ou seja, nas fontes bibliográficas para elaboração dos constructos teóricos; no manuseio e análise da documentação acerca dos principais programas de preservação no Brasil, neste caso, o Programa das Cidades Históricas do Nordeste, um projeto de patrimonialização dos anos de 1970, e no Programa Monumenta dos anos de 1990. Análise dos programas havia como propósito na pesquisa, compreender a incorporação da temática ambiental dos projetos de reabilitação do patrimônio cultural. Em seguida, a fim de realizar uma comparação histórica estre tais programas, adotou-se o método comparativo a fim de perceber as diferenças e as similitudes dos programas. O mesmo método de comparação foi aplicado às cidades históricas de Olinda e São Cristóvão com o propósito de o tratamento da questão ambiental nas cidades a partir dos programas de preservação. Deste modo, na perspectiva compreender as relações entre cultura e natureza, a abordagem seguida foi de caráter interdisciplinar visando estabelecer um diálogo entre as principais áreas do conhecimento. O método comparado permitiu lançar mão do estudo das imagens produzidas pelo turismo cultural e ambiental a qual as cidades históricas estão sujeitas. A narrativa da tese é estruturada em quatro partes, sendo que os dois primeiros capítulos são dedicados à reflexão acerca da construção do discurso patrimonial cultural e natural em espaços diferentes, mas, no mesmo momento temporal: a modernidade. A narrativa da tese quer evidenciar como os contextos do auge da modernidade e da sua crise, foram determinantes para transformar o discurso da patrimonialidade a ponto de aproximar a dimensão cultural da dimensão ambiental. Dito isto sobre os dois primeiros capítulos, os outros dois capítulos complementares da pesquisa explicitaram como as práticas institucionais do Iphan foram sendo transformadas com as novas categorias de preservação – patrimônio imaterial, patrimônio ambiental urbano e paisagem cultural – e, principalmente como essas categorias foram sendo, ou não, aplicadas nos projetos oficiais do governo. Os resultados apontaram para um avanço na compreensão da temática ambiental na política de preservação patrimonial, mas, no entanto, as práticas institucionais ancoradas nos programas revelaram que a tradição em separar cultura de meio ambiente ainda prevalece nas práticas patrimoniais. Por fim, nas considerações últimas da pesquisa, já na sua fase final, espera-se que a reflexão realizada possa ampliar o entendimento de que cultura e natureza interagem de modo que a preservação da cultura requer a conservação do meio ambiente numa ação integrada e sistêmica.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 426603 - ANTONIO CARLOS DOS SANTOS
Interno - 2222763 - MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
Externo ao Programa - 1698693 - EVALDO BECKER
Externo ao Programa - 426602 - ROGERIO PROENCA DE SOUSA LEITE
Externo à Instituição - TEREZINHA ALVES DE OLIVA
Externo à Instituição - ROSEMEIRE MARIA ANTONIETA MOTTA GUIMARÃES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2023 - UFRN v3.5.16 -r18277-8067e35817