UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: FABRICIO DIAS ANTUNES
16/04/2019 09:29


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FABRICIO DIAS ANTUNES
DATA: 08/05/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU
TÍTULO: Detecção de dor neuropática em indivíduos com doença falciforme: Aplicação de apenas uma ferramenta diagnóstica é suficiente?
PALAVRAS-CHAVES: Doença Falciforme. Diagnóstico. Dor Crônica. Neuralgia.
PÁGINAS: 111
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

Introdução: A doença falciforme é considerada uma das patologias hematológicas mais comuns em todo o mundo e é associada a diversas complicações agudas com tratamentos já bem estabelecidos. Por outro lado, condições dolorosas crônicas como a dor neuropática recebem bem menos atenção dos profissionais competentes e isso culmina no subdiagnóstico deste quadro. Objetivos: Identificar a melhor ferramenta para detecção de dor neuropática em pacientes com doença falciforme. Comparar quatro instrumentos de avaliação em dor neuropática: Neuropathic pain questionnaire (NPQ), Douleur Neuropathique en 4 Questions (DN-4), Leeds Assessment of Neuropathic Symptoms and Signs (LANSS) e painDetect Questionnaire (PDQ). Validar a ferramenta NPQ em língua portuguesa. Caracterizar o perfil clínico e epidemiológico da dor neuropática nos pacientes com doença falciforme. Método: Antes de qualquer aplicação dos instrumentos de avaliação em dor neuropática foi necessária a tradução do questionário NPQ a ser validado para língua portuguesa respeitando rigorosamente os critérios estabelecidos na literatura. De um total de 554 pacientes com doença falciforme do ambulatório do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe, 103 pacientes estavam dentro dos critérios de inclusão (doença falciforme sintomática confirmada por eletroforese de hemoglobina, idade igual ou superior a 14 anos, ausência de crise álgica e de hemotransfusão no último mês e sem outra patologia orgânica diagnosticada anteriormente a este estudo) e responderam os instrumentos NPQ, DN-4, LANSS e PDQ num primeiro momento. Como previsto na metodologia de validação de instrumentos diagnósticos, um segundo momento correspondente a um ano depois foi necessário para aplicação do NPQ novamente. Dessa vez após considerar perdas advindas de ausência ao ambulatório ou não estar dentro dos critérios de inclusão, 41 pacientes, dentre os 103 citados acima, responderam o NPQ. Como o tamanho amostral calculado foi de 40 pacientes, o número de 41 pacientes obtidos no segundo tempo da pesquisa foi adequado. A partir daí, pôde-se fazer as devidas análises e comparações necessárias para cumprir os objetivos. Correlação de Pearson e Correlação de Spearman foram utilizados na comparação entre as ferramentas de avaliação ou na validação. As comparações entre grupos foram feitas através dos testes Qui-Quadrado/exato de Fisher ou testes t/Mann-Whitney. Resultados: A melhor combinação de ferramentas já validadas em português que detectou o maior número de pacientes com dor neuropática dentre aqueles com doença falciforme foi o DN-4, LANSS e PDQ, com uma prevalência de 50,4%. A comparação entre os instrumentos dessa pesquisa com o propósito de medição da similaridade entre eles demonstrou uma baixa equivalência e isso reforça a teoria de que é necessária mais de uma ferramenta de detecção de dor neuropática com o objetivo de evitar perdas desnecessárias de pacientes falso-negativos. Não houve homogeneidade e estabilidade com o instrumento NPQ na língua portuguesa neste grupo de pacientes com doença falciforme, impossibilitando a validação da ferramenta NPQ no trabalho. O perfil clínico e epidemiológico deste grupo com dor neuropática é normalmente constituído de pessoas mais velhas com alterações sensoriais bem características, distribuído de forma homogênea por sexo, com dor de localização principalmente lombar e sem abordagem terapêutica até o momento.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2085327 - EDUARDO LUIS DE AQUINO NEVES
Externo à Instituição - LARISSA RESENDE OLIVEIRA
Presidente - 577945 - ROSANA CIPOLOTTI
Externo à Instituição - SIMONE SANTANA VIANA
Externo ao Programa - 3361735 - VERA MARIA SILVEIRA DE AZEVEDO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5