UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 06 de Dezembro de 2022

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de DEFESA: ALEX JOSÉ SILVEIRA FILHO
26/02/2019 11:11


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALEX JOSÉ SILVEIRA FILHO
DATA: 27/02/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do DFA
TÍTULO: Desenvolvimento e caracterização de esponjas contendo extrato seco de Hyptis pectinata (L.) Poit. (Lamiaceae).
PALAVRAS-CHAVES: Extrato seco, Hyptis pectinata, esponjas, caracterização, medicina tradicional.
PÁGINAS: 77
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Hyptis pectinata, popularmente conhecida como “sambacaitá” ou “canudinho”, é usada na medicina popular devido as suas propriedades analgésicas, anti-inflamatória, cicatrizante, bem como no combate a infecções bacterianas. Devido às dificuldades em se obter bons resultados com os métodos tradicionais para cicatrização, técnicas mais modernas vêm sendo desenvolvidas e testadas, incluindo a utilização de pressão negativa em ferimentos. O objetivo deste trabalho foi desenvolver e caracterizar esponjas contendo extrato seco de H. pectinata. A droga vegetal, a solução extrativa e o extrato seco de H. pectinata foram caracterizados físico-quimicamente, conforme preconizado na Farmacopeia Brasileira V (2010) e outras metodologias. As esponjas foram caracterizadas por calorimetria exploratória diferencial (DSC), análise termogravimétrica e termogravimetria derivada (TG/DTG), microscopia eletrônica de varredura (MEV) e capacidade de intumescimento. Utilizou-se Análise de Variância (ANOVA) de duas vias, seguida pelo pós-teste de Tukey, considerando significativas as diferenças com p<0,05. Os teores de cinzas totais, perda por dessecação e umidade da droga vegetal foram de: 6,89 % ± 0,027; 9,46% ± 0,0017; 10,62% ± 0,112, respectivamente. O pH, densidade e resíduo seco da SEHP foram de: 5,88 ± 0,011; 0,90 ± 0,012; 1,53% ± 0,056. O ESHP apresentou propriedades de fluxo e microscopia conforme relatos na literatura. Foram identificados na caracterização do ESHP ácido cafeico, isoquercitrina e rutina. O teor de fenólicos totais presentes no ESHP foi de 111,60 ±1,103.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1334092 - FRANCILENE AMARAL DA SILVA
Externo à Instituição - SALVANA PRISCYLLA MANSO COSTA
Interno - 1694328 - WELLINGTON BARROS DA SILVA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2022 - UFRN v3.5.16 -r18160-36a7f68df5