UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ÉDIPO PAIXÃO SILVA DE JESUS
08/02/2019 12:12


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ÉDIPO PAIXÃO SILVA DE JESUS
DATA: 14/02/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Sala Multiuso do PPEC
TÍTULO: TOXICIDADE DE BIOCIDAS ANTI-INCRUSTANTES NO MICROCRUSTÁCEO MARINHO Mysidopsis juniae
PALAVRAS-CHAVES: Ecotoxicologia aquática, nanomateriais, bioincrustação
PÁGINAS: 26
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

A incrustação biológica em embarcações e demais estruturas marítimas é um problema para o setor, uma vez que pode elevar o consumo de combustível, reduzir a produtividade e facilitar a disseminação de espécies não-nativas. Tintas anti-incrustantes são utilizadas nas superfícies submersas de navios, barcos e estruturas aquáticas para impedir o assentamento e o desenvolvimento de organismos. Entretanto, as substâncias biocidas utilizadas podem gerar poluição nos ambientes aquáticos acarretando efeitos tóxicos adversos em organismos não-alvo. Tais efeitos podem atingir diferentes níveis de organização biológica envolvendo alterações bioquímicas, alterações nas estruturas morfológicas, no comportamento reprodutivo, até a mortalidade dos organismos nos casos mais severos. A busca por substâncias biocidas que sejam mais efetivas e menos agressivas ao ambiente tem crescido nas últimas décadas, e conhecer os efeitos dos biocidas é imprescindível para a tomada de decisão e elaboração de medidas eficientes que reduzam a entrada de tais substâncias nos ecossistemas, bem como possibilitar a redução dos potenciais riscos ecológicos relacionados às substâncias tóxicas liberadas. O composto 4,5-dichloro-2-octyl-isothiazolone (DCOIT), considerado um biocida “verde” e menos agressivo ao ambiente, vem sendo utilizado em substituição aos compostos à base de tributilestanho (TBT) banidos mundialmente por seus reconhecidos efeitos nocivos ao ambiente. Como característica inovadora, o DCOIT vem sendo utilizado combinado com outros biocidas de reforço, como as nanopartículas de prata ou microcápsulas de sílica, que maximizam e prolongam os efeitos do princípio ativo. Sendo assim, este estudo tem como objetivo principal, investigar a toxicidade de biocidas anti-incrustantes (DCOIT; SiNC-DCOIT e SiNC-DCOIT-Ag) no microcrustáceo marinho Mysidopsis juniae no intuito de (i) avaliar a sensibilidade do M. juniae aos biocidas em exposição aguda (96); (ii) avaliar se os biocidas podem causar retardo no desenvolvimento juvenil; (iii) avaliar qual dos compostos selecionados apresenta menor toxicidade aos organismos-teste.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1857524 - JEAMYLLE NILIN GONCALVES
Interno - 1775420 - GUSTAVO LUIS HIROSE
Externo ao Programa - 1685300 - MARCELO DA ROSA ALEXANDRE

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9