UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: MARCO ANTONIO VALADARES OLIVEIRA
08/02/2019 09:00


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCO ANTONIO VALADARES OLIVEIRA
DATA: 22/02/2019
HORA: 08:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU sala 27
TÍTULO: SÍNDROME CONGÊNITA ASSOCIADA AO ZIKA VIRUS: ALÉM DA MICROCEFALIA
PALAVRAS-CHAVES: Microcefalia. Infecções congênitas. Síndrome congênita. Zika virus. Malformações.
PÁGINAS: 104
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

Introdução: em outubro de 2015 houve a emissão de um alerta internacional para um surto de microcefalia congênita presumidamente relacionada à infecção pelo vírus Zika (ZIKV), inicialmente detectado no nordeste do Brasil, elevando muito o coeficiente de prevalência de microcefalia ao nascer no país. O crescente número de casos novos de microcefalia nas regiões afetadas, associado a achados clínicos e alterações morfológicas em comum, despertou para a necessidade de se descrever essa nova síndrome clínica associada a uma infecção congênita que até então não fazia parte do rol de diagnósticos diferenciais da microcefalia. Objetivos: descrever a síndrome congênita associada à presumida infecção materna pelo ZIKV e avaliar as alterações encefálicas da população de microcefálicos estudada, assim como as alterações oftalmológicas, os achados ecocardiográficos e outras malformações. Pacientes e Métodos: estudo observacional transversal descritivo, com amostra não aleatória e consecutiva. Incluiu 65 lactentes com diagnóstico de microcefalia e atendidos no Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe. A ficha de atendimento do serviço de microcefalia foi a fonte para as informações clínicas, assim como sobre o período neonatal e dados da gestação. Ultrassonografia transfontanela foi realizada em todos os pacientes da amostra. Avaliação oftalmológica aconteceu em 62 crianças do grupo, enquanto 59 foram submetidos à ecocardiografia. As variáveis quantitativas e as categóricas foram expressas conforme melhor adequação. Para as variáveis-desfecho realizou-se a estimativa de frequência com seu respectivo Intervalo de Confiança para 95%, utilizando-se da técnica de Bootstrap. Resultados: houve um predomínio de nascidos a termo, do sexo feminino e do parto vaginal. Também houve um predomínio de adequação do peso ao nascer e uma totalidade de ausência de dano perinatal descrito. Em menos de metade das mães houve história positiva para exantema, febre e poliartralgia; mas ocorreu um predomínio desses relatos no primeiro trimestre da gestação. Uma maioria significativa (80,0%) foi classificada como microcefalia grave. As alterações oftalmológicas em segmento posterior foram predominantes, com destaque para a atrofia do epitélio pigmentar da retina (24,2%) e a coriorretinite (22,6%). Alterações no segmento anterior também foram descritas, assim como o estrabismo patológico e o nistagmo. A criptorquidia bilateral foi relatada em 28,6% da população de meninos. Alterações ortopédicas foram descritas em 27,7% dos pacientes, com destaque para as artrogriposes múltiplas (6,2%). O achado ecocardiográfico mais frequente foi o forame oval patente (42,4%) e o canal arterial pérvio (10,2%). As alterações encefálicas mais encontradas foram a atrofia cerebral (75,4%), as calcificações (73,8%), as disgenesias de corpo caloso (70,8%) e a dilatação ventricular (64,6%) e a lisencefalia (61,5%). Conclusões: as alterações oftalmológicas descritas são mais graves que as relatadas para outras causas de infecção congênita associada à microcefalia, com destaque paras as alterações da fundoscopia. Também desperta para outras malformações ainda não documentadas para a infecção congênita pelo virus, como os achados ecocardiográficos e a criptorquidia. Alterações ortopédicas e encefálicas concordam com os relatos recentes da literatura acerca do tema.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 426691 - MARIA LUIZA DORIA ALMEIDA
Externo ao Programa - 1306129 - ELENILDE GOMES SANTOS
Externo ao Programa - 2221782 - ENALDO VIEIRA DE MELO
Externo à Instituição - JOSE BARRETO NETO
Externo à Instituição - GEODETE SANTOS BATISTA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5