UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 24 de Junho de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: CRISTIANNE SANTANA SANTOS
05/02/2019 08:13


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CRISTIANNE SANTANA SANTOS
DATA: 06/02/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Polo de Gestão da POSGRAP
TÍTULO: Mecanismos envolvidos na tolerância à dessecação em sementes de Tabebuia aurea (Silva Manso) Benth. & Hook.f. ex S. Moore (Bignoniaceae)
PALAVRAS-CHAVES: tipos de dessecação, hidratação descontínua, análises bioquímicas, craibeira, Caatinga.
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

A capacidade das sementes de sobreviverem à dessecação é um aspecto importante para o uso dessas espécies na regeneração ecológica, principalmente das Florestas Tropicais Secas. Sendo assim, no presente trabalho, foram analisados os limites, aspectos fisiológicos e a relação da hidratação descontínua na tolerância à dessecação (TD) em sementes de T. aurea, nos períodos pré e pós-germinativo. No período de pré-germinativo foram analisados o grau de TD das sementes e a resposta dessas a dessecação lenta e rápida em diferentes teores de água (0, 25, 50, 75 e 100%), além da influência da hidratação descontínua na TD de sementes de T. aurea, que foram submetidas a 0, 1, 2 e 3 ciclos de hidratação e desidratação em três tempos de hidratação (½ do tempo da primeira fase, ¼ e ¾ da segunda fase da embebição). Já no período pós-germinativo, foi avaliada a capacidade das sementes da referida espécie de tolerarem a dessecação após a germinação, em três diferentes tamanhos de radícula (0 - 2, 2 - 5 e 5-10 mm). Além disso, também foram realizadas a quantificação de açúcares redutores e proteínas totais em todos os tratamentos avaliados. As sementes de T. aurea apresentam uma alta TD nos períodos pré e pós-germinativo nos dois tipos de dessecação avaliados, sendo observado um aumento no conteúdo de açúcares redutores com a diminuição do teor de água no período pré-germinativo e uma redução do conteúdo desses açúcares no período pós-germinativo. A hidratação descontínua não promoveu um aumento da TD das sementes da espécie estudada. Contudo, ao passarem pelos ciclos de HD, foi observado um aumento do conteúdo de proteínas nas sementes submetidas à dessecação rápida. Devido a essa alta TD apresentada pelas sementes T. aurea, essas podem se tornar um modelo interessante em estudos relacionados aos limites da capacidade das sementes de tolerarem ao dessecamento.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1881178 - MARCOS VINICIUS MEIADO
Externo ao Programa - 1712587 - ELIZAMAR CIRIACO DA SILVA
Externo à Instituição - BÁRBARA FRANÇA DANTAS

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9