UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: RANNA HEIDY SANTOS BEZERRA
31/01/2019 13:07


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RANNA HEIDY SANTOS BEZERRA
DATA: 25/02/2019
HORA: 08:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: PAPEL ECOLÓGICO DOS VOLÁTEIS INDUZIDOS POR HERBIVORIA E DO NÉCTAR EXTRAFLORAL NO SISTEMA TRITRÓFICO: ÁCAROS HERBÍVOROS – MANDIOCA - ÁCARO PREDADOR
PALAVRAS-CHAVES: defesas indiretas; interações tritróficas; Mononychellus tanajoa; Tetranychus urticae; Neoseiulus idaeus
PÁGINAS: 40
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

As plantas desenvolveram e aperfeiçoaram uma diversidade considerável de mecanismos de defesa indiretas que envolvem a atração de parasitoides e predadores que podem reduzir os danos causados pelos herbívoros através de estruturas que oferecem alimento e proteção, como nectários extraflorais (NEFs) e domácias e pela emissão de compostos orgânicos voláteis (COVs) induzidos por herbívoros. As plantas de mandioca possuem diversos mecanismos de defesa contra a herbivoria, incluindo pilosidades, compostos cianogênicos, emitem COVs e segregam NEF, porém poucos estudos têm abordado a influência das suas defesas indiretas sobre os segundo e terceiro níveis tróficos. Estudos recentes demonstram que plantas de mandioca emitem COVs induzidos que diferem qualitativa e quantitativamente quando submetidas à herbivoria de diferentes espécies, mas ainda não se sabe quais efeitos esses COVs podem causar aos herbívoros e inimigos naturais. Acreditando que a indução de COVs por herbivoria e a presença de NEF possuem influência na atração de inimigos naturais, o presente trabalho propõe investigar os efeitos dos COVs induzidos pela herbivoria dos ácaros Mononychellus tanajoa e Tetranychus urticae em plantas mandioca no comportamento do ácaro predador Neoseiulus idaeus e dos ácaros herbívoros, além de verificar se existe diferença na produção e composição do NEF entre plantas sadias e submetidas à herbivoria. Em seguida, pretende-se verificar a viabilidade do NEF como alimento para o ácaro predador, comparando o seu desenvolvimento quando submetido a diferentes fontes de alimento.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1861452 - ANA PAULA ALBANO ARAUJO
Presidente - 2019137 - BIANCA GIULIANO AMBROGI
Externo à Instituição - CARLA FERNANDA FÁVARO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9