UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: EDUARDO VINICIUS DA SILVA OLIVEIRA
31/01/2019 12:59


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EDUARDO VINICIUS DA SILVA OLIVEIRA
DATA: 25/02/2019
HORA: 14:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: PADRÕES ESPACIAIS E PROCESSOS GERADORES DA DIVERSIDADE TAXONÔMICA, FILOGENÉTICA E FUNCIONAL DE PLANTAS NA COSTA BRASILEIRA
PALAVRAS-CHAVES: COMPLETUDE; MONTAGEM DE ASSEMBLEIAS; VEGETAÇÃO LITORÂNEA
PÁGINAS: 69
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

Compreender os processos que explicam os padrões da diversidade ao longo de gradientes ambientais é tema central em ecologia. Embora exista um interesse crescente por esses padrões, ainda não há consenso sobre as suas causas determinantes. Especificamente para plantas vasculares, ainda não existem investigações sobre os condutores da diversidade, em suas múltiplas dimensões (i.e., taxonômica, filogenética e funcional), para a vegetação litorânea, uma das mais suscetíveis a degradação no Brasil. Aqui, perguntamos como a diversidade (α-β) taxonômica, filogenetíca e funcional de plantas litorâneas variam ao longo de um gradiente latitudinal e quais preditores ambientais estão envolvidos nesse padrão geográfico. Baseado em um conjunto de dados de ocorrência abrangentes, registros de plantas vasculares foram mapeados para 202 células na zona costeira do Brasil. Inicialmente, para avaliar a qualidade das ocorrências, foram definidos três critérios de “poda”, nivelados pela completude de inventário e número de registros. Realizamos regressões lineares múltiplas entre conjuntos de variáveis e riqueza de plantas. A partir de uma megafilogenia e de traços funcionais relevantes serão calculadas métricas filogenéticas e funcionais, que por sua vez, serão correlacionadas entre si, com preditores ambientais e com riqueza de plantas. O modelo mais importante na explicação da variação da diversidade filogenética em função das variáveis será identificado através do critério de informação de Akaike. A seguir, serão realizadas regressões lineares múltiplas e parciais com este melhor modelo para avaliar a contribuição individual das variáveis. A diversidade β taxonômica e funcional será particionada entre os componentes de turnover e nestedness e a diversidade β filogenética avaliada pelo Escalonamento Multidimensional Não-Métrico (nMDS). Até o momento, os resultados mostraram uma maior importância da velocidade do vento nos padrões espaciais da riqueza. Poucas células foram consideradas bem amostradas, refletindo lacunas de conhecimento sobre a área de distribuição de plantas vasculares na zona costeira do Brasil.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - DAVI MELLO CUNHA CRESCENTE ALVES
Externo ao Programa - 2381793 - MARLA IBRAHIM UEHBE DE OLIVEIRA
Presidente - 2019114 - SIDNEY FEITOSA GOUVEIA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9