UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANDERSON MENDONÇA CONCEIÇÃO
30/01/2019 16:40


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANDERSON MENDONÇA CONCEIÇÃO
DATA: 21/02/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 09, Bloco A do Departamento de Biologia da UFS
TÍTULO: Densidade populacional, uso do espaço e dieta do roedor Kerodon rupestris (Mammalia: Caviidae) em uma área de Caatinga no alto sertão sergipano, Nordeste do Brasil
PALAVRAS-CHAVES: Caatinga, densidade, hábito alimentar, estratificação vertical, roedor
PÁGINAS: 22
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

Kerodon rupestris é uma espécie de roedor endêmica para o Brasil, com registros de ocorrência principalmente em regiões de Caatinga desde o estado do Piauí até o norte de Minas Gerais. Trata-se de uma espécie herbívora e especialista na utilização de afloramentos rochosos. No entanto, esta espécie foi pouco estudada desde a sua descoberta e as informações sobre sua ecologia são escassas e pontuais. Este estudo tem como objetivo caracterizar a densidade populacional, o uso do espaço e a dieta desta espécie no Monumento Natural da Grota do Angico, área na Caatinga que possui 2.183 há, localizada no alto sertão sergipano. Para caracterizar a densidade da espécie está sendo utilizada a metodologia de amostragem por distância em quatro transectos lineares, com extensão entre 292-817m, percorridos em dias alternados pela manhã e tarde. Posteriormente, estes dados serão analisados pelo software DISTANCE 7.1. O uso do espaço está sendo verificado através da observação do substrato utilizado (solo, rocha ou vegetação) e altura (registrada somente para a vegetação), sendo que estes dados serão comparados sazonalmente através de um GLM. A dieta da espécie será registrada ad libitum, a partir da observação dos indivíduos em atividade de forrageio, nos mesmos transectos, durante os períodos da manhã e tarde. Serão registrados os itens vegetais consumidos e, quando possível, o mesmo será identificado em nível taxonômico. A amplitude do nicho alimentar da espécie será verificada através do índice de Levin’s calculado para cada período sazonal e comparado através do teste “t” de Hutchinson. A diferença sazonal na composição da dieta será avaliada através de regressão logística simples. Ambas as análises serão realizadas no ambiente R. É esperado que a densidade populacional de K. rupestris apresente variação sazonal em decorrência das modificações ambientais que ocorrem durante o período seco, sendo esta época menos favorável para reprodução. Espera-se que este roedor apresente preferência pelo substrato rochoso, devido este ser seu principal abrigo contra predadores e quando observado o uso da vegetação, a maioria dos registros sejam realizados em alturas superiores a dois metros, onde a espécie pode acessar seu principal item alimentar (folhas) mais facilmente. Em relação à alimentação, é esperado que esta espécie amplie sua dieta no período seco, quando a vegetação se modifica em decorrência da sua característica decídua.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1819383 - ADRIANA BOCCHIGLIERI
Externo à Instituição - ALEXANDRE DE SOUZA PORTELLA
Externo à Instituição - DOUGLAS DE MATOS DIAS

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9