UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 15 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JOANA PAULA BISPO NASCIMENTO
30/01/2019 16:33


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOANA PAULA BISPO NASCIMENTO
DATA: 21/02/2019
HORA: 09:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: Hidrocondicionamento em sementes da Caatinga
PALAVRAS-CHAVES: Tolerância, estresse, seca, germinação, desenvolvimento inicial, condicionamento.
PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

O tratamento de sementes através de técnicas como o hidrocondicionamento ou ciclos de hidratação e desidratação (ciclos de HD) pode representar uma ferramenta importante para a produção de mudas de ambientes áridos e semiáridos como a Caatinga. Os ciclos de HD estimulam uma série de mudanças morfológicas, fisiológicas e bioquímicas nas espécies, que podem contribuir para o aumento da resistência ao déficit hídrico, excesso de sais ou exposição das sementes a temperaturas sub e supra ótimas. Já está comprovado que esta técnica confere benefício e tolerância a estresses abióticos durante a germinação de algumas espécies da Caatinga e acredita-se que esse benefício pode se perpetuar no indivíduo, porém, ainda não está claro como este processo ocorre. Assim, o objetivo desta tese de doutorado será elucidar os benefícios ecofisiológicos que essa técnica pode proporcionar à germinação e ao estabelecimento de plântulas de espécies com ampla distribuição e que possuem potencial para a recuperação de áreas degradadas na Caatinga. Para atender a este objetivo, as sementes das espécies estudadas passarão pela técnica do hidrocondicionamento e serão submetidas a estresses abióticos (i.e., hídrico, salino e/ou térmico). O comportamento germinativo das sementes será avaliado, quanto a sua germinabilidade, tempo de germinação e sincronização, bem como o desenvolvimento inicial das plântulas. Além disso, em alguns capítulos serão abordados temas como a mobilização de reservas, papel das enzimas antioxidantes e a expressão de genes de tolerância à seca. Acredita-se que as sementes e mudas hidrocondicionadas serão mais tolerantes quando expostas às condições de estresse quando comparadas a sementes não tratadas. O conhecimento dos mecanismos que ativam e controlam a tolerância à seca, que são desenvolvidos pelas plantas durante a fase de germinação, poderão servir de subsídio para o desenvolvimento de melhores práticas de manejo, a serem empregadas na produção de mudas, para a recuperação de áreas degradadas e programas de enriquecimento de espécies nativas da Caatinga.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - DENISE GARCIA DE SANTANA
Presidente - 1881178 - MARCOS VINICIUS MEIADO
Externo ao Programa - 2483844 - RENATA SILVA MANN

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15368-99f189d34b