UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 24 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: DANIELA ANDRADE DE OLIVEIRA GUIMARÃES
30/01/2019 16:27


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DANIELA ANDRADE DE OLIVEIRA GUIMARÃES
DATA: 27/02/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 09, Bloco A do Departamento de Biologia da UFS
TÍTULO: Aves aquáticas de áreas úmidas do litoral sul de Sergipe: estrutura da comunidade, uso do habitat e tendências sazonais
PALAVRAS-CHAVES: antropização, aves, lagoas, planície costeira, qualidade do habitat
PÁGINAS: 30
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

Áreas Úmidas tem sofrido uma maior perda de habitat e degradação do que qualquer outro ecossistema. Nesses ambientes, a presença e as variações populacionais de aves aquáticas em sido usadas como indicadores da qualidade do habitat, uma vez que essas populações são influenciadas por mínimas alterações ambientais. Fatores ambientais também são importantes para moldar as populações de aves aquáticas, afetando direta ou indiretamente esse grupo dependendo da escala e intensidade desses fatores. Mudanças climáticas podem ainda afetar indiretamente as populações desse grupo por modificar, aumentar ou reduzir a disponibilidades de habitats e microhabitats disponíveis. Dessa forma, levando-se em consideração o conhecimento restrito sobre comunidades das aves aquáticas no estado de Sergipe, o presente estudo propõe-se a investigar a estrutura das comunidades (riqueza, composição de espécies, abundância e diversidade funcional), o uso do habitat e as tendências sazonais na ocupação dessas áreas na região litorânea sul do estado de Sergipe. As campanhas serão realizadas mensalmente durante 24 meses, com início em outubro de 2018, em quatro lagoas com diferentes graus de antropização. Preliminarmente já foram registradas 20 espécies de aves na região. Foi possível verificar a exclusividade na ocorrência de algumas espécies em determinados habitats e microhabitats. Até o momento, os dados indicam que a ocupação antrópica pode ter um papel na estruturação da comunidade de aves aquáticas, tendendo a impactar negativamente sua abundância e riqueza. Devido ao pouco número de campanhas, tendências sazonais ainda não podem ser analisadas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1819383 - ADRIANA BOCCHIGLIERI
Externo à Instituição - BIA DE ARRUDA ALMEIDA
Externo à Instituição - FLÁVIA DE CAMPOS MARTINS

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9