UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: IGOR SILVA DA HORA
29/01/2019 12:17


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: IGOR SILVA DA HORA
DATA: 29/01/2019
HORA: 13:00
LOCAL: Sala 02 do Polo de Gestão
TÍTULO: A hidratação descontínua afeta a longevidade de sementes em bancos de sementes nos solos de ambientes semiáridos?
PALAVRAS-CHAVES: ciclos de HD, Caatinga, viabilidade, Cactaceae.
PÁGINAS: 40
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

Após a maturação das sementes, dá-se início ao processo natural de envelhecimento no ambiente, de forma que modificações internas às sementes acarretam na perda da viabilidade. Assim, a longevidade é a manutenção da viabilidade de uma semente no ambiente. Através dessa capacidade de preservar a viabilidade, muitas espécies formam bancos de sementes no solo como, por exemplo, algumas espécies da Caatinga. Nesse ecossistema, é comum a ocorrência de uma hidratação descontínua, por meio de ciclos de hidratação e desidratação (HD), o que promove alterações fisiológicas e bioquímicas no metabolismo das sementes no banco de sementes. Objetiva-se, neste estudo, avaliar se a hidratação descontinua afeta a longevidade de sementes de Cereus jamacaru DC. subsp. jamacaru (Cactaceae) formando banco de sementes nos solos da Caatinga. Amostras de solo e sementes serão coletadas em áreas de Caatinga do Estado de Sergipe. As sementes serão submetidas a 0 (controle, onde as sementes não passarão por ciclos), 1, 2 e 3 ciclos de HD, onde cada tratamento conterá 24 repetições de 250 sementes. Tais ciclos serão simulados em potes plásticos com tampa contendo solo da Caatinga, utilizando 20 mL de água. Após os ciclos, os bancos artificiais serão montados e mantidos no ambiente durante os respectivos tempos, 0, 3, 6, 9, 12 e 15 meses. Para avaliar o efeito da luz nos ciclos de hidratação, o tratamento luz terá a hidratação realizada sob influência da luz, enquanto que o tratamento escuro passará por uma hidratação em um ambiente completamente ausente de luz. O tempo de hidratação e desidratação serão 12 horas e 48 horas, respectivamente, sendo a desidratação realizada em estufa a 40ºC. Assim, em cada período de avaliação serão avaliados parâmetros germinativos (germinabilidade e T50), teor de água de sementes e análises bioquímicas. Quanto a germinação, 50 sementes de cada repetição nos potes serão umedecidos com 20 mL de água e avaliadas durante um período de 30 dias. 100 sementes de cada repetição serão avaliadas para o teor de água. Por fim, a analise bioquímica será dos açúcares redutores e solúveis totais, proteínas solúveis totais e aminoácidos totais, seguindo metodologias especificas para cada um. A normalidade dos resíduos dos dados e a homogeneidade das variâncias serão verificadas através dos testes Shapiro-Wilk e Levene, respectivamente. Os resultados serão avaliados através análise de variância fatorial conjunta com dois fatores (disponibilidade de luz durante a hidratação das sementes e número de ciclos de HD), com as médias comparadas a posteriori pelo teste de Tukey, no software R com α = 5%.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1712587 - ELIZAMAR CIRIACO DA SILVA
Presidente - 1881178 - MARCOS VINICIUS MEIADO
Interno - 2019114 - SIDNEY FEITOSA GOUVEIA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9