UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JOSÉ BARRETO CRUZ NOGUEIRA
11/01/2019 09:16


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSÉ BARRETO CRUZ NOGUEIRA
DATA: 30/01/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU
TÍTULO: Eficácia da Infusão Repetida da Lidocaína Venosa Associada a Pregabalina sobre a Expressão dos Biomarcadores do Estresse Oxidativo em Mulheres com Fibromialgia: Ensaio Clínico Randomizado.
PALAVRAS-CHAVES: Síndrome da fibromialgia. Fibromialgia. Estresse oxidativo. Lidocaína venosa. Biomarcadores do estresse oxidativo.
PÁGINAS: 61
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A fibromialgia é uma síndrome de dor crônica, idiopática, causada por múltiplos mecanismos de sensibilização central e periféricos, além de associada com possíveis alterações hormonais e imunológicas. A dor musculoesquelética generalizada, distúrbios do sono, fadiga e alterações psicossomáticas (depressão e ansiedade) respondem pelas principais queixas desse grupo de pacientes. O presente estudo tem por objetivo avaliar o benefício da lidocaína por via intravenosa associada à pregabalina no controle da dor musculoesquelética em mulheres com fibromialgia. Foi realizada uma pesquisa com ensaio clínico prospectivo, randomizado, duplo-cego e controlado por placebo desenvolvido no Hospital Universitário da UFS/EBSERH em parceria com o Departamento de Fisiologia da UFS através do Laboratório de Neurociências e Ensaios Farmacológicos (LANEF). A fibromialgia apresenta prevalência atual de 1 a 2% com maioria dos pacientes do sexo feminino (89%), com idade predominante entre os 20-60 anos (aproximadamente 75% dos casos). Dentre as abordagens terapêuticas propostas para manejo dessa síndrome a infusão intravenosa repetida de lidocaína (IV) vem se apesentando como opção em pacientes com componente neuropático. Assim, foi avaliado o comportamento dos pacientes fibromiálgicos submetidos ao tratamento com lidocaína IV e o seu comportamento em relação a dor e os benefícios adquiridos com o seu uso continuado. As pacientes desse estudo apresentaram idade média de 47,45 anos (DP 6,76), altura de 1,59m e IMC de 27,21 (4,57), com os biomarcadores obtivemos resultados confirmatórios do que foi evidenciado no FIQ com escore de 75,67 (DP 17,43), no EVA com escore de 7,72 (DP. 2,25) e no DN4 com escores de 8,3 antes da primeira infusão de lidocaína e 7,54 após a última infusão. Foram obtidos valores dos biomarcadores GSH com 23,41 (26,76) antes da primeira infusão e 37,19 (27,12) após a última e TBARS com 6,23 (4,73) antes da primeira infusão e 4,69 (4,49) após a última. O organismo humano sofre ação constante de diversas espécies reativas de oxigênio (EROs) geradas em processos fisiológicos provavelmente responsáveis pela fisiopatologia de algumas patologias inflamatórias. Dentre essas patologias a fibromialgia se apresenta com alterações nos biomarcadores do estresse oxidativo. Assim conseguimos obter dados mais consistentes sobre a doença e o perfil dos pacientes afetados pela patologia, com resultados que corroboram com a literatura, confirmando o aspecto etiopatológico complexo da fibromialgia. As evidências sugerem que a lidocaína atua principalmente bloqueando os canais de sódio voltagem dependentes inibindo as descargas neuronais ectópicas como também atuando em outros locais de ação que respondem pela sua ação antiinflamatória, antihiperalgésica e possivelmente antioxidante. Parece melhorar o status redox, diminuindo danos celulares, contudo não altera a atividade das enzimas antioxidantes, mas eleva os níveis de GSH. Portanto, sugere ser um caminho a ser explorado.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 3573579 - ANDRÉ SALES BARRETO
Interno - 1656787 - JOSIMARI MELO DE SANTANA
Externo ao Programa - 2034694 - KARINA LAURENTI SATO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12692-c69972fb69