UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 28 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: RANGEL CYRILO LIMA DE MELO
07/12/2018 08:47


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RANGEL CYRILO LIMA DE MELO
DATA: 21/12/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 26 do Programa de Ciências da Saúde/HU
TÍTULO: PROPRIEDADES ANESTÉSICAS DE DUAS SOLUÇÕES NA TÉCNICA DA CRISTA ALVEOLAR ZONA ÓSSEA ESPONJOSA UTILIZANDO INJETOR COMPUTADORIZADO: ENSAIO CLINICO RANDOMIZADO
PALAVRAS-CHAVES: Anestesia Local; Ansiedade; Polpa Dentária.
PÁGINAS: 46
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
SUBÁREA: Clínica Odontológica
RESUMO:

Introdução: O uso de anestésicos locais se faz necessário em grande parte dos procedimentos odontológicos. O injetor anestésico computadorizado Morpheus®, propicia introdução da agulha sem dor e anestesia satisfatória com uso de menores volumes de anestésico local. Quando há necessidade de intervenção em molares e pré-molares inferiores a técnica intrasseptal Crista Alveolar Zona Óssea Esponjosa (CAZOE) é uma alternativa ao tratamento indolor utilizando-se do Morpheus®. Dessa maneira o objetivo do trabalho é avaliar as propriedades anestésicas na técnica da CAZOE utilizando-se dois anestésicos distintos, lidocaína e articaína. Materiais e Métodos: Trata-se de um ensaio clinico triplo cego, cruzado do tipo split-mouth e randomizado com 31 voluntários com necessidade de tratamento restaurador em primeiros molares inferiores, onde em duas sessões foram utilizados a lidocaína 2% com epinefrina 1:100000 e articaina 4% com epinefrina 1:100000, ambos na técnica anestesica intrasseptal Crista Alveolar Zona Osséa Esponjosa CAZOE. Foram avaliados parâmetros físicos, percepção dolorosa, grau de ansiedade e propriedades anestésicas. Resultados: Não houve diferenças significantes entre os grupos ou entre os tempos para a pressão arterial sistólica (p=0.9242), diastólica (p=0.3555), frequência cardíaca (p=0.3537) e saturação de oxigênio (p=0.2415). Não houve diferenças significantes entre os tratamentos tanto para a introdução da agulha (p=0.3227) quanto para a deposição do anestésico (p=0.9502). A taxa de insucesso foi igual para ambos os protocolos, de 9,7%. Não houve diferenças significantes entre os grupos considerando a latência (p=0.2233), mas a duração foi significativamente maior para a articaina (teste t pareado, p=0.0075). Conclusões: Tanto a articaina quanto a lidocaina se mostraram drogas seguras, não havendo qualquer alteração na avaliação da influência dos parâmetros físicos avaliados. A articaina se mostrou superior quanto a duração anestésica com cerca de 70,7 minutos de duração. A técnica anestésica intrasseptal CAZOE mostrou-se eficaz apresentando tempo de anestesia suficiente para realização de qualquer procedimento odontológico para ambas as drogas anestésicas estudadas, bem como produziu anestesia indolor que propicia maior conforto aos pacientes.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1208405 - MONICA SILVEIRA PAIXAO
Presidente - 1783432 - PAULO HENRIQUE LUIZ DE FREITAS
Interno - 2021396 - WILTON MITSUNARI TAKESHITA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12762-01b8f192c5