UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARLANGE ALMEIDA OLIVEIRA MELO
29/11/2018 10:43


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARLANGE ALMEIDA OLIVEIRA MELO
DATA: 12/12/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Farmácia da UFS
TÍTULO: NARINGENINA COMPLEXADA COM HIDROXIPROPIL-β-CICLODEXTRINA MELHORA A REGENERAÇÃO DO NERVO CIÁTICO PELA INIBIÇÃO DA VIA p75NTR E MAPKA
PALAVRAS-CHAVES: Produtos naturais, flavanonas, naringenina, regeneração
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Lesões de nervos periféricos são muito comuns e é um problema de saúde pública que acarretaprejuízos pessoais, sociais e produz repercussões econômicas nos sistemas de saúde. Esse tipode lesão continua sendo um desafio para medicina moderna na busca de terapias mais efetivaspara o tratamento. A Naringenina (NA) é uma flavanona presente na casca da laranja (Citrussp) com atividades farmacológicas já descritas na literatura, além de apresentar baixa toxicidadee fazer parte da composição de produtos terapêuticos já patenteados e de utilização clínica.Contudo, sua baixa solubilidade em água tem limitado sua aplicabilidade terapêutica.Complexos de inclusão contendo ciclodextrinas incorporados com produtos naturais (PN), taiscomo a NA, pode produzir benefícios nas propriedades químicas e farmacológicas destescompostos bioativos. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi desenvolver complexos deinclusão contendo NA e hidroxipropil-β-ciclodextrina (NA/HPβCD) testando seus efeitosfarmacológicos em protocolos experimentais de regeneração do nervo ciático. Os protocolosexperimentais foram realizados utilizando camundongos machos Swiss, albinos pesando de 25– 35 g, oriundos do Biotério Setorial da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e foramaprovados pelo comitê de ética em experimentação animal (CEPA: 60/15). Na indução domodelo crônico foi utilizado o modelo animal de esmagamento do nervo ciático. Os animaissubmetidos a cirurgia e foram divididos em grupos experimentais e tratados com veículo (salina0,9%), NA (50 mg/Kg; v.o.) e NA/HPβCD (50 mg/Kg; v.o.), o grupo sham teve o nervosomente exposto e não foi tratado. Os animais foram avaliados quanto aos aspectos sensitivoscom avaliação da hiperalgesia mecânica e térmica, aspectos motores como avaliação do Índicefuncional do nervo ciático e aspectos moleculares, com dosagem de citocinas anti e próinflamatórias na medula espinhal, como TNF-a, IL-1b e IL-10 realizados em ensaios de ELISA,bem como a quantificação de proteínas no nervo ciático envolvidas na via apoptótica e desobrevida celular por protocolos de western blot. Por fim, os aspectos morfológicos dos nervosciáticos foram avaliados através da análise qualitativa e histomorfométrica. Os animais tratadoscom NA e NA/HPβCD melhoraram a hiperalgesia mecânica e térmica com p<0,001 a partir doterceiro dia, bem como melhoria do SFI (p<0,05). A NA também evitou a ativação de p75NTRe SAP/JNK, proteínas envolvidas na via apoptótica, bem como da caspase-3 (p<0,05). Otratamento também permitiu a diminuição de TNF-α (p<0,01), IL-1β (p<0,01) e aumento daIL-10 (p<0,05), uma citocina anti-inflamatória. A microscopia de luz apresentou fibrasmielinizadas com fina bainha de mielina, sugerindo mielinização de axônios regenerados.Portanto, a NA e NA/HPβCD atuam na recuperação na função sensorial, motora eneuroinflamatória. Este efeito pode ser devido à inibição da via p75NTR e MAPK, levando àsupressão da atividade da caspase-3.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2869627 - ADRIANA GIBARA GUIMARÃES
Interno - 2020866 - ANA MARA DE OLIVEIRA E SILVA
Externo à Instituição - LUANA HEIMFARTH

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5