UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 23 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: HEITOR GOMES DE ARAUJO FILHO
14/11/2018 08:50


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: HEITOR GOMES DE ARAUJO FILHO
DATA: 12/12/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Fisiologia UFS
TÍTULO: D-limoneno e seu metabólito ativo aceleram o processo regenerativo após lesão do nervo periférico.
PALAVRAS-CHAVES: Monoterpenos. d-limoneno. Álcool perílico. Dor crônica. Regeneração nervosa.
PÁGINAS: 135
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A lesão do nervo periférico e a dor neuropática é um problema mundial, considerada uma grave condição clínica que pode resultar em déficits funcionais a longo prazo afetando a qualidade de vida dos pacientes. Dentre a série de estratégias terapêuticas desenvolvidas para o tratamento de tais lesões, a farmacoterapia tem se mostrado uma abordagem promissora, apesar da inexistência de fármacos específicos. Neste aspecto, drogas de origem natural continuam sendo uma promissora fonte de novas biomoléculas e despertam o interesse científico e econômico, em virtude da grande diversidade de entidades químicas com propriedades farmacológicas. Portanto, o objetivo desse estudo foi avaliar o efeito antihiperalgésico e regenerativo do d-limoneno e álcool perílico em modelo animal de lesão por esmagamento do nervo ciático. Foram utilizados camundongos machos (Mus musculus) Swiss, albinos pesando de 25 - 33g, oriundos do Biotério setorial da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Para indução da lesão, o nervo ciático direito dos animais foi esmagado com uma pinça hemostática não serrilhada. Após o esmagamento, os animais foram tratados diariamente durante 28 dias. Os animais foram avaliados quanto a hiperalgesia mecânica (analgesímetro) e alodinia ao frio (acetona), assim como, força muscular das patas traseiras (grip) e marcha através das pegadas (IFC). A expressão de proteínas ERK, GAP-43 e NGF foi analisada através da técnica de Western blot. A participação da neuroglia foi analisada através da imunofluorescência para micróglia (Iba1) e astrócitos (GFAP). Além disso, quantificação de citocinas pró-inflamatórias foi analisada através do ELISA. Como resultados, foi possível observar que a administração crônica do LIM e AP reduziram o estado hiperalgésico dos animais. Além disso, foi possível notar que a dor neuropática foi suprimida pela diminuição da ativação microglial e astrocística e também por supressão da neuroinflamação causada pela liberação de IL-1β e TNF-α. A regeneração nervosa foi acelerada após o tratamento com AP e LIM mostradas através do aumento da expressão de proteínas como GAP-43 e NGF. Ainda mais, o aumento de ERK1/2 fosforilada mostrou a ação dessas substâncias no processo de diferenciação celular. A análise funcional foi feita através do IFC onde o LIM e AP aceleraram a melhora da marcha na segunda e terceira semana quando comparado ao controle. A melhora da função motora também foi evidenciada no aumento da força muscular das patas traseiras. Com isso, foi possível concluir que o LIM e AP são moléculas promissoras para acelerar o processo de regeneração periférica e suprimir subsequente dor neuropática através do aumento da expressão de fatores neurotróficos, ativação da via ERK1/2 e supressão da neuroinflamação.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 3573579 - ANDRÉ SALES BARRETO
Interno - 1698148 - ENILTON APARECIDO CAMARGO
Externo à Instituição - LUANA HEIMFARTH

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5