UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 23 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: IVANI RODRIGUES GLASS
20/09/2018 09:30


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: IVANI RODRIGUES GLASS
DATA: 20/09/2018
HORA: 19:00
LOCAL: Auditório da Sociedade de Anestesiologia do Estado de Sergipe
TÍTULO: Características hemodinâmicas cerebrais não invasivas em indivíduos com Doença de Chagas crônica do município de Umbaúba, Estado de Sergipe.
PALAVRAS-CHAVES: Doença de Chagas. Doppler Transcraniano. Sorologia para Trypanosoma cruzi. Prevalência.
PÁGINAS: 66
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

A doença de Chagas é endêmica numa região que abrange desde o México até a Argentina. No Brasil, atualmente predominam os casos crônicos com aproximadamente dois milhões de indivíduos infectados. O acometimento do sistema nervosa central, desencadeando acidente vascular cerebral (AVC) nos indivíduos chagásicos com miocardiopatia tem ocorrido em alta incidência, geralmente em decorrência de êmbolos cardíacos originados de aneurisma apical, trombos murais e fibrilação atrial. O doppler transcraniano (DTC) é um exame de grande importância para detectar microêmbolos na circulação intracraniana e determinar as velocidades de fluxo das artérias cerebrais. Este estudo tem por objetivo avaliar a hemodinâmica cerebral nos indivíduos com diagnóstico sorológico para doença de Chagas (DC) por meio do Doppler Transcraniano nas diversas formas crônicas da doença. Foi realizado um estudo transversal em doze povoados do município de Umbaúba, onde 617 indivíduos responderam a um questionário sobre as condições sócio epidemiológicas e foi coletado amostra de sangue para realização de sorologia para Tripanosoma cruzi. Houve uma prevalência de 12,1% (75/617) de soropositividade para DC. Desses indivíduos soropositivos, 71 foram submetidos ao exame clínico e realização de eletrocardiograma, ecocardiograma, radiografia de tórax e radiografia contrastada de esôfago e cólon para determinar a forma clínica da DC. Para a realização do DTC, participaram 96 indivíduos, 59 soropositivos para DC e 37 soronegativos. Esses indivíduos tiveram uma média de idade de 54± 11 anos e sexo feminino em 62.5%. Dentre as formas clínicas crônicas da DC, 22 indivíduos estavam na forma indeterminada, 17 cardíaca, 16 cardiodigestiva e 4 digestiva. Os valores da velocidade média da artéria cerebral média (VMACM) e do índice de pulsatilidade não apresentaram alteração nos indivíduos examinados. Correlacionando a velocidade média da artéria cerebral média com a idade e as formas clínicas da doença de Chagas e o controle, foi observado que nas formas cardíaca, indeterminada e controle houve redução da VMACM com o aumento da idade de maneira semelhante. Entretanto com as formas cardiodigestiva e digestiva ocorreu o contrário, elevação da VMACM com o aumento da idade. Não foram evidenciados sinais de microêmbolos. O presente estudo não demonstrou alteração da hemodinâmica cerebral entre as formas crônicas clínicas e o controle, provavelmente em decorrência dos indivíduos com DC estarem numa fase controlada da doença, não apresentando durante a pesquisa sintomas ou sinais cardíacos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 426722 - ANGELA MARIA DA SILVA
Interno - 154.064.405-78 - CARLOS ANSELMO LIMA
Interno - 1695058 - MARCO ANTONIO PRADO NUNES
Externo ao Programa - 3361735 - VERA MARIA SILVEIRA DE AZEVEDO
Externo à Instituição - SONIA OLIVEIRA LIMA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5